Como descartar medicamentos corretamente

Saúde
11 de Janeiro, 2022
Como descartar medicamentos corretamente

Sabe aquela caixinha de remédios que você tem em casa? Que tal conferir quais já estão vencidos e jogá-los fora? Porém, antes disso, é preciso saber como descartar os medicamentos corretamente. Isso porque eles liberam resíduos químicos que contaminam o solo, os animais, córregos, rios, e até mesmo a água que bebemos. Além disso, o descarte incorreto aumento o risco de uso inadvertido por outras pessoas.

De acordo com Walter da Silva Jorge João, Vice-Presidente do Conselho Federal de Farmácia, foram encontrados 36 fármacos diferentes em diversos rios na Alemanha, por exemplo. Por isso, o descarte desses materiais não pode ser feito de qualquer forma. Neste artigo, explicaremos como descartar medicamentos corretamente. Confira! 

Leia também: Medicamentos para doenças reumáticas diminuem a resposta das vacinas de Covid-19

Consequências de descartar medicamentos de forma inadequada

De acordo com uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), os medicamentos são avaliados como resíduos químicos e, em certas ocasiões, é necessário fazer um tratamento para que o descarte seja efetuado sem problemas. 

Essa preocupação é redobrada em virtude das penetrações de substâncias químicas no meio ambiente que podem trazer diversos problemas para a saúde. Muita gente não sabe, mas o simples fato de descartar medicamentos no vaso sanitário, dentro da pia do banheiro e até nos ralos da cozinha, por exemplo, pode contaminar os lençóis freáticos. Com isso, a chance de um indivíduo tomar uma água imprópria é maior, trazendo sérios problemas de saúde.  

O meio ambiente também é afetado. Diversos estudos já concluíram que o descarte irregular de medicamentos com princípios ativos hormonais causa diversos problemas para o meio ambiente, como a feminilização de peixes e modifica o equilíbrio da cadeia alimentar. 

Leia também: Remédios para emagrecer funcionam mesmo?

Plano de Gerenciamento de Resíduos 

Diante desse cenário, as empresas geradoras de resíduos de saúde são obrigadas a desenvolver o Plano de Gerenciamento de Resíduos. Veja quem faz parte dessa lista: 

  • Clínicas;
  • Hospitais; 
  • Necrotérios;
  • Laboratórios de pesquisa;
  • Entre outros. 

O documento precisa abordar diversas etapas, tais como: 

  • Geração;
  • Classificação;
  • Tratamento;
  • Transporte;
  • Armazenamento temporário;
  • Descarte final dos resíduos. 

Além disso, é importante nomear um responsável técnico para monitorar todas as etapas. Dessa forma, será possível garantir que todas serão finalizadas. 

Onde descartar medicamentos? 

O descarte de medicamento em casa ainda não possui uma legislação com orientações para solucionar o problema. A boa notícia é que, de acordo com Mayra Gabriela Bento Teixeira, coordenadora de farmácia no Hospital Albert Sabin de SP (HAS), em 2009a ANVISA autorizou a participação de farmácias e drogarias em programa voluntários de descarte correto de medicamentos, assim como suas embalagens, bem como objetos perfurocortantes utilizados para ministrá-los. 

“Verifique se as farmácias da sua região participam de alguma iniciativa. Em algumas cidades, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) recebem medicamentos para descarte. As embalagens e objetos utilizados para ministrá-los têm como destino final a incineração ou são levados para aterros industriais, a depender do procedimento adotado por município. Peça apoio do farmacêutico para que o descarte seja feito de maneira adequada”, orienta. 

Como armazenar medicamentos em casa? 

Os medicamentos não podem ser armazenados de qualquer forma em casa. Dessa forma, Mayra orienta sobre como a melhor forma de armazená-los. “Os medicamentos devem ser armazenados protegidos da luz, longe de locais úmidos e com oscilação de temperatura (como cozinha e banheiro). Atentar-se à limpeza no local de armazenamento, devido ao risco de contaminação. Aalém disso, nunca abra mão da validade, pois medicamentos vencidos não têm garantia de eficácia”, explica Mayra.

É fundamental também ler a bula e o cartucho de cada medicamento. Além disso, vale destacar que um medicamento vencido não pode ser armazenado junto com outros produtos. Por fim, eles devem ficar longe de crianças, pois o consumo inadvertido pode trazer problemas de saúde. 

Como reduzir a quantidade de medicamentos descartados? 

Percebeu os impactos que o descarte incorreto de medicamentos pode trazer para a sua saúde e para o meio ambiente? Sendo assim, uma forma interessante de tentar eliminar esse tipo de problema é reduzindo a quantidade de medicamentos a serem descartados. 

Para isso, no caso dos medicamentos que não precisam de prescrição médica, ou seja, aqueles que não exigem receita para adquiri-los, recomendamos comprá-los somente quando for necessário. Além disso, outro ponto importante é não interromper o tratamento antes da recomendação médica. 

Nesse sentido, nunca é demais lembrar o quanto é indicado comprar a quantidade correta do medicamento. Se isso não for possível, busque se aproximar daquilo que está prescrito na receita. Por fim, antes de fazer uma consulta com o médico, vale a pena criar uma lista de medicamentos que já estão em sua residência para descobrir se é possível utilizá-los em algum momento.

Fonte: Mayra Gabriela Bento Teixeira – Coordenadora de Farmácia no Hospital Albert Sabin de SP (HAS), Farmacêutica responsável técnica – CRF: 57982

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!

5 hábitos saudáveis para enxaqueca
Saúde

5 hábitos saudáveis para enxaqueca

A enxaqueca é uma doença crônica que causa um tipo de dor de cabeça latejante