Dengue hemorrágica: O que é, sintomas, tratamentos e causas

22 de junho, 2022

A dengue hemorrágica é uma doença causada por um vírus transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti. Diferente da dengue clássica, esse tipo é considerado mais grave, uma vez que pode evoluir rapidamente e levar à morte caso não seja tratado rapidamente.

“Assim como nos casos de dengue clássica, a dengue hemorrágica se dá pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado pelo vírus da dengue. Dessa forma, a pessoa picada por um mosquito que carrega o vírus pode levar de 3 a 15 dias para apresentar sintomas.”

Segundo o imunologista, Tales Shibata, gerente médico na Sami, grande parte dos casos de dengue hemorrágica se dá em pessoas que já tiveram dengue anteriormente, mas também pode acometer quem nunca teve dengue antes.

Sintomas de dengue hemorrágica

Os sintomas de dengue hemorrágica são os mesmos que ocorrem na forma clássica de dengue, mas a partir do terceiro dia tendem a ficar mais graves. Alguns sinais de alerta para a possibilidade de evolução à dengue hemorrágica são, por exemplo:

  • Vômitos persistentes;
  • Dor abdominal intensa;
  • Urina com sangue;
  • Desconforto respiratório;
  • Pele fria e úmida;
  • Olhos vermelhos;
  • Sonolência e/ou irritabilidade;
  • Pode haver, ou não, sangramento da gengiva, boca, nariz, ouvidos ou intestino; 

Acima de tudo, é fundamental que o paciente observe os sinais de alerta acima e procure um hospital o quanto antes. Para confirmação do diagnóstico, o médico vai realizar o exame físico e a prova do laço, que consiste em apertar o braço com uma fita e desenhar um quadrado de 2,5 x 2,5 cm na pele. E após 5 minutos observar se há mais de 20 pintinhas vermelhas dentro do quadrado. 

Além disso, os profissionais também solicitam alguns exames clínicos adicionais, como hemograma e coagulograma.

Tratamento

O tratamento da dengue hemorrágica é feito com hidratação através de soro direto na veia. Por se tratar de uma doença grave que pode causar alterações respiratórias, hepáticas e cardíacas, o paciente deve ficar internado no hospital, onde a equipe médica pode monitorá-lo.

“O tratamento deve começar imediatamente após o diagnóstico positivo. Vale lembrar que em casos de suspeita de dengue, medicamentos com ácido acetilsalicílico ou anti-inflamatórios devem ser evitados”, esclarece o médico.

Leia também: Mortes por dengue em 2022 ultrapassam o dobro do ano passado 

Como prevenir

Como dito anteriormente, para que a pessoa desenvolva a dengue hemorrágica, ela precisa ser picada pelo mosquito Aedes Aegypti infectado com o vírus. Dessa forma, é possível prevenir o surgimento da dengue com algumas medidas simples: 

  • Primeiramente, jogue fora pneus velhos;
  • Vire garrafas com a boca para baixo;
  • Mantenha a caixa d’agua sempre limpa e fechada;
  • Não deixe água parada no quintal, vasos, laje e outros locais;
  • Não se esqueça de lavar a vasilha de água do seu animal de estimação regularmente;
  • Evite os locais de epidemia da dengue;
  • Use repelentes diariamente;
  • Coloque telas de proteção em todas as janelas e portas para evitar a entrada do mosquito dentro de casa.

Dengue hemorrágica pode matar?

“Se o tratamento não for iniciado rapidamente, há risco de morte, porque neste tipo de dengue pode haver o que chamamos de choque, que gera prostração, palidez das mucosas e da pele, sudorese, aceleração do pulso e queda acentuada da pressão arterial, além de dificuldade para respirar e comprometimento grave do coração, rins, fígado e cérebro”, completa o especialista.

Fonte: Tales Shibata, imunologista, gerente médico na Sami e especialista em alergia e imunologia pediátrica pela Escola Paulista de Medicina – UNIFESP.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.