Pontos importantes para criar confiança no cuidado do diabetes

Saúde
13 de Julho, 2023
Pontos importantes para  criar confiança no cuidado do diabetes

Receber o diagnóstico de diabetes mellitus tipo 2 pode ser uma experiência  assustadora e desafiadora. É natural sentir uma mistura de emoções, desde a  preocupação e o medo até a frustração e a tristeza. Sentimentos como ansiedadeestresse e tristeza são comuns e é importante que eles não sejam ignorados. 

A saúde mental desempenha um papel fundamental na gestão do diabetes tipo  2. O estresse e a ansiedade podem afetar os níveis de açúcar no sangue, dificultando o  controle da doença. Além disso, problemas emocionais podem levar a comportamentos  inadequados, como desmotivação para seguir o plano de tratamento, alimentação  desequilibrada e falta de exercício físico. 

Nesse momento delicado, é crucial reconhecer que cuidar de sua saúde mental  é tão importante quanto cuidar do seu corpo. Buscar caminhos para lidar com esta nova  condição em sua vida é um ato corajoso e necessário em direção ao autocuidado para  enfrentar essa nova realidade com força e resiliência. 

Aqui, compartilhamos com você cinco pontos importantes que o ajudarão a elaborar emocionalmente o diagnóstico e criar confiança no cuidado do diabetes.  

  1. Você não está sozinho: compartilhe sua jornada

A primeira coisa a lembrar é que você não está sozinho nessa jornada. Milhões  de pessoas ao redor do mundo vivem com diabetes tipo 2 e muitas delas estão passando  pelos mesmos desafios emocionais que você. Encontre grupos de apoio localmente ou  online, onde você possa compartilhar suas experiências, preocupações e sucessos. Essas  comunidades podem fornecer um espaço seguro e solidário para expressar seus  sentimentos e obter conselhos práticos de pessoas que passaram pelo que você está  passando. 

  1. Profissionais de saúde são parte importante da rede de apoio

Além de compartilhar com seus pares, é fundamental buscar ajuda profissional  para lidar com as questões de saúde mental relacionadas ao diabetes tipo 2. Os  profissionais de saúde, como médicos, nutricionistas e psicólogos, podem desempenhar papéis fundamentais no seu bem-estar geral. Eles podem fornecer orientações sobre  como gerenciar o diabetes, além de oferecer suporte emocional durante todo o  processo. Não hesite em compartilhar suas preocupações com eles, pois eles estão lá  para ajudar e apoiar você. 

Saiba que existem várias opções disponíveis caso esteja em busca de  acompanhamento personalizado. Uma delas é procurar um médico de família ou  endocrinologista que possa indicar um profissional de saúde mental que conheça sobre  a dinâmica do tratamento do diabetes. Além disso, clínicas de diabetes, hospitais e  organizações de saúde podem também oferecer suporte psicológico especializado. 

  1. Informação e conhecimento nunca são demais

Informação e conhecimento são ferramentas poderosas na convivência positiva  com o diabetes tipo 2. Quanto mais você aprender sobre a condição e suas opções de  tratamento, mais capacitado você se sentirá para enfrentar os desafios diários.  

Muitas vezes ouvimos “esses são números bons, esses são números maus”.  Cuidado com o julgamento em torno deles e não se esqueça que os números em torno  do diabetes são informações que te ajudam a estabelecer as coordenadas na sua  jornada de cuidados, para que saiba onde você está e para onde precisa ir com seu  tratamento. Portanto, monitore com frequência seus níveis de glicose através de glicosímetro ou sensor e busque saber o valor da sua hemoglobina glicada. Em posse  dessas informações você tomará ações mais certeiras e que te trarão os melhores  resultados. 

Além disso, participe de cursos, workshops ou palestras sobre diabetes. Informe se sobre nutrição saudável e estratégias de gerenciamento do estresse. Quanto mais  você entender o que está acontecendo em seu corpo, mais confiante se tornará em lidar  com o diabetes e suas ramificações emocionais. 

  1. Reconheça suas emoções e elabore seus sentimentos 

Para que o tratamento tenha sucesso, as pequenas decisões diárias que  envolvem estilo de vida têm um papel fundamental. Conciliar essas decisões com as  demais demandas da vida pode ser desafiador do ponto de vista emocional. Portanto, é necessário que o cuidado com a saúde mental seja uma prioridade constante.

Procurar ajuda para reconhecer suas emoções e elaborar seus sentimentos o  ajudará a entender suas próprias barreiras e, a partir disso, encontrar seus próprios  caminhos para viver uma vida mais agradável com o diabetes. 

Além de aderir ao plano de tratamento, reserve um tempo para cuidar de si  mesmo. Pratique exercícios físicos regulares, como caminhar, correr, nadar ou ioga, pois  eles podem ajudar a reduzir o estresse e melhorar seu humor. Explore técnicas de  relaxamento, como meditação e respiração profunda, para acalmar a mente e encontrar  equilíbrio emocional. 

  1. Comemore as (pequenas) vitórias e pratique a autocompaixão

Lidar com o diabetes tipo 2 pode ser uma jornada repleta de altos e baixos.  Celebre cada pequena vitória diária. Estas podem ser desde uma boa noite de sono,  realização de exercícios físicos, ou a composição da maioria de suas refeições do dia ter alimentos saudáveis. Reconheça e comemore também as vitórias que exigem mais  persistência, como a manutenção de seus níveis de açúcar no sangue sob controle ou a implementação de mudanças positivas em seu estilo de vida. 

E lembre-se de ser gentil consigo mesmo. Raramente os dias serão perfeitos!  Praticar a autocompaixão permitirá que você supere os obstáculos com resiliência e  perseverança. 

Guarde esses pontos com você ao longo do tratamento. Pequenas mudanças  podem levar a grandes resultados. Ao colocá-los em prática você verá que conviver com  o diabetes é possível, manejável e não o impedirá de viver uma vida saudável. Lembre se sempre de que você é mais do que o seu diagnóstico e o diabetes tipo 2 não define  quem você é. Seja gentil consigo mesmo(a) e celebre cada pequena conquista ao longo  do caminho. O autocuidado é essencial para gerenciar essa condição e buscar apoio  emocional é uma parte valiosa desse processo.

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas