Crianças e dose de reforço: Ministério da Saúde recomenda a reaplicação do imunizante

Saúde
05 de Janeiro, 2023
Crianças e dose de reforço: Ministério da Saúde recomenda a reaplicação do imunizante

O Ministério da Saúde divulgou ontem (04) uma nota em que recomenda que crianças a partir de 5 anos devem tomar a dose de reforço contra a covid-19. Com isso, o Brasil entra no grupo de países que adotam a vacinação de reforço nessa faixa etária, como é o caso dos Estados Unidos. Por aqui, a imunização deve ser feita com a vacina pediátrica da Pfizer, caracterizada pela tampa laranja, ainda que algumas crianças tenham recebido a primeira e a segunda dose da Coronavac. Continue lendo e saiba mais. 

Leia também: Reforço contra Covid: quase 69 milhões não completaram vacinação

Crianças devem tomar dose de reforço 

Em dezembro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia recomendado o reforço do imunizante em crianças entre 5 e 11 anos. Seguindo a mesma instrução, agora o Ministério da Saúde liberou a vacinação por meio de uma nota técnica enviada para estados e municípios. Assim, o intervalo entre a segunda dose e a complementar deve ser de pelo menos quatro meses.

“No estudo clínico, as crianças avaliadas apresentaram aumento de seis vezes no número de anticorpos após a dose de reforço. Em outra subanálise, o reforço da vacina da Pfizer se mostrou eficaz contra a variante Ômicron, com aumento de 36 vezes na produção de anticorpos nessa faixa etária”, afirmou o Ministério da Saúde em nota.

Dessa forma, a decisão se refere à terceira dose de reforço, já que o imunizante contra a covid-19, de forma geral, tem apresentado um decaimento dos anticorpos com o tempo. Por isso, existe a necessidade de reaplicar a vacina e manter os níveis de anticorpos para neutralizar o vírus. 

Esquema de vacinação infantil 

Confira a seguir a atualização do esquema de vacinação:

  • Crianças de 5 anos a 11 anos recebem a vacina Pfizer Pediátrica. São duas doses, com intervalo de 21 dias. Além disso,  o reforço deve acontecer após quatro meses;
  • Crianças de 3 e 4 anos recebem a vacina CoronaVac. São duas doses, com intervalo de 28 dias;
  • Crianças de 6 meses a 4 anos e 11 meses recebem a Pfizer Baby. Nesse sentido, são três doses, com intervalo de 4 semanas entre as 2 primeiras e de oito semanas entre a segunda e a terceira. 

Fique atento: Todas as crianças devem estar acompanhadas dos pais ou responsáveis. Além disso, é necessário apresentar o cartão de vacinação e documento de identificação. 

A vacinação das crianças é essencial

Por fim, de acordo com Flávia Cohen, infectologista, a vacinação existe justamente para proteger as crianças de doenças altamente contagiosas e que comprometem a saúde. Ou seja, serve para criar um sistema imunológico bom e que realmente vai defender os ataques das doenças. “As defesas do corpo dos pequenos ainda estão em desenvolvimento, não são tão fortes. Assim, a vacinação criará uma barreira contra os vírus e bactérias que existem”, conta.

Fonte: Flávia Cohen, infectologista da Clínica FVC.

Referência: Ministério da Saúde  

 

Sobre o autor

Tayna Farias
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em gravidez e maternidade

Leia também:

insulina oral
Saúde

Insulina oral: Pesquisadores desenvolvem novo tratamento para diabetes

A nova versão se mostrou mais prática e deve gerar menos efeitos colaterais

Ivete Sangalo pneumonia
Saúde

Ivete Sangalo é internada com pneumonia. Entenda o quadro

A pneumonia é uma infecção respiratória que causa tosse com muco ou pus, febre e dificuldade respiratória

foto de uma caderneta de vacinação com uma seringa
Saúde

Caderneta de vacinação em dia ajuda a evitar surtos de doenças

Especialistas alertam que a vacinação é um pacto de saúde coletivo