Compostagem: o que é, benefícios e como fazer em casa

Bem-estar Casa
17 de Março, 2022
Compostagem: o que é, benefícios e como fazer em casa

Durante a busca por um estilo de vida mais sustentável, é comum nos depararmos com práticas que, álem de serem boas para o meio ambiente, eferecem um ótimo custo-benefício e ainda podem contribuir para a nossa saúde. A compostagem é uma delas! Isso porque grande parte dos materiais orgânicos descartados no dia-a-dia podem ser reutilizados nesse processo biológico, ajudando no crescimento das plantinhas e dos alimentos que cultivamos em casa.

O que é a compostagem? 

O processo biológico consiste em uma forma de reciclar os alimentos que seriam desperdiçados, convertendo o então lixo. “A compostagem é o processo de decomposição da matéria orgânica realizado na presença de oxigênio, ou seja, pelos organismos aeróbios. Isso ocorre com a correta proporção de carbono e nitrogênio, que vai gerar um composto”, explica Rafael Greco, proprietário da Casológica.

Leia também: Casca de ovo nas plantas: como fazer e para que serve

Benefícios da compostagem

A compostagem não traz apenas benefícios para o meio ambiente, mas também para a saúde e para a praticidade em casa. Rafael Zarvos, especialista em gestão de resíduos sólidos e fundador da Oceano Resíduos, explica como o processo biológico é benéfico: 

Deixa de emitir gases de efeito estufa 

Esses gases colaboram para o aquecimento global, e com a compostagem, ocorre uma diminuição considerável dos mesmos. “As sobras orgânicas levadas para aterros ou lixões geram CO2 (por causa dos caminhões que transportam os resíduos) e metano, que é o gás resultante da decomposição. Por dia, 50% de tudo que chega nos aterros são sobras de comida. Além disso, você ainda para de gerar nestes locais o famoso ‘chorume”’ líquido com cheiro de ‘amônia’, que chega a ser duzentas vezes mais poluente que os esgotos”, conta Zarvos. 

É uma boa opção de fertilizante

O produto da compostagem se torna um ótimo fertilizante, rico em nutrientes. Esse processo biológico pode ser aproveitado não só nas plantas domésticas, mas também nas plantas que ficam em áreas externas. O “humus”, que é a terra derivada da compostagem, produz um adubo totalmente orgânico, sem adição de produtos químicos. 

Recupera espaços degradados 

“O ‘humus‘ serve também para recuperar espaços degradados. sem contar que a compostagem pode servir como fonte de renda, já que pode ser vendido”, diz Zarvos. 

Leia também: Ter plantas no trabalho pode reduzir o estresse

Como fazer a compostagem em casa?

Os especialistas explicam que existem duas formas de fazer a compostagem doméstica. Na primeira, as responsáveis por transformar essas sobras orgânicas em compostagem são as minhocas. Para isso, um minhocário é necessário. Neste primeiro método, não podem ser recicladas comidas processadas ou alimentos cítricos. “Apesar disso, o húmus que se forma da compostagem através das minhocas gera um biofertilizante de excelente qualidade”, ressalta Zarvos. 

Fazer a compostagem sem um minhocário também é possível! Nesse método, o processo é bem diferente. Os responsáveis pela degradação dos alimentos serão os micro-organismos que usam o oxigênio. Aqui, não há restrição de alimentos. A terra fica igualmente boa, mas sem a geração de biofertilizantes. 

“A maneira mais adequada de fazer a compostagem é com o kit de compostagem (composteira doméstica). As minhocas não são necessárias, mas elas melhoram muito a qualidade do composto final”, explica Greco. Ele conta que a composteira é feita com materiais específicos. O material não pode, por exemplo acumular líquidos e precisa de uma boa entrada de oxigênio . É possível fazer esse kit com palete, pneu, garrafa, madeira, plástico ou direto na terra. 

Leia também: Horta em casa: Cultive temperos e hortaliças

Resíduos que devem ser usados na compostagem 

Como dito anteriormente, os resíduos usados dependem do tipo de compostagem. No caso de minhocários, não é recomendado usar restos orgânicos de processados e cítricos. No método Lage,  ossos de galinhas ou similares não devem ser usados, pois os mesmos não se decompõem em ambientes domésticos.

“Carnes e laticínios também não são indicados, porque além de terem um tempo de decomposição mais demorado, podem atrair vetores”, diz Greco. Os resíduos também não podem conter sal ou qualquer tipo de tempero. 

A temperatura e a umidade do ambiente onde o processo biológico vai acontecer influenciam na compostagem. Se você for usar o minhocário, não o deixe exposto ao calor, já que ele pode matar as minhocas. A umidade em excesso e o mau cheirosão prejudiciais aos animais, e podem trazer moscas e larvas. Na composteira sem minhoca, o que mais afeta é a umidade. Se o tempo estiver muito úmido, é preciso adicionar matéria seca. Se estiver seco, borrife água. 

Dica útil: Se não quiser mais fazer a compostagem doméstica, basta doar material para hortas comunitárias. Ou, então, jogá-lo em parques e jardins, uma vez que os nutrientes farão bem para a terra.

Fontes: Rafael Greco, proprietário da Casológica; Rafael Zarvos, especialista em gestão de resíduos sólidos e fundador da Oceano Resíduos.

Sobre o autor

Gabriela Ferreira
Jornalista e Repórter da Vitat.

Leia também:

benefícios da banana
Alimentação Bem-estar Saúde

10 benefícios da banana que provavelmente você não conhece (mais receitas)

A banana é amiga do intestino, além de ser eficiente na prevenção de cãibras. Veja outros benefícios da fruta!

mulher fazendo o exercício peck deck na academia
Bem-estar Movimento

Peck deck (voador): o que é, para que serve e como fazer o exercício

Entenda quais músculos o peck deck aciona, como executar corretamente e quais exercícios podem substituí-lo nos dias mais cheios da academia

perda muscular
Bem-estar Movimento Saúde

Perda muscular compromete a recuperação do paciente  

A sarcopenia, a perda de massa muscular e da força, aumenta o risco de complicações em diversos quadros