Como proteger o couro cabeludo da química e evitar queimaduras?

1 de abril, 2022

Tingir os cabelos não é uma novidade para muitas mulheres. Inclusive, é comum que também o façam em casa, sem precisar ir até o cabeleireiro, e aprendendo, na prática, como atingir a cor desejada nos fios sem ajuda. Ao mesmo tempo, a tintura é uma química que pode trazer complicações. Saiba como proteger o couro cabeludo e evitar problemas. 

Tintura de cabelo: os principais erros

De acordo com a dermatologista Dra. Bianca Viscomi, um dos erros mais comuns tem relação com a sensibilidade do couro cabeludo. Nesses casos, o efeito de produtos como tinturas e alisamentos é mais nocivo do que em pessoas com o couro cabeludo normal. “Por ser uma pele extremamente irrigada, absorve tudo o que colocamos em contato com ela”, explica. 

Tinturas e alisamentos não fazem parte da rotina diária de cuidados com os cabelos. O seu contato com o couro cabeludo não é muito longo e todos esses produtos são de enxágue. Isso significa que é possível usá-los com uma margem de segurança.  

“Entretanto, nos casos de couro cabeludo sensível, deve-se ter muito cuidado”, continua a médica. “O ideal é que estas substâncias não fiquem em contato direto com o couro cabeludo. Por isso, para proteger essa região, a pessoa pode fazer uso de vaselinas ou pomadas e o profissional também pode aplicar o produto com mais distância.”

Ou seja, por mais que seja possível aplicá-los em casa, é melhor fazê-lo com ajuda profissional, para evitar problemas e complicações. 

“No caso de tinturas, que precisam estar em contato com a raiz para poder pintar o fio que sai desde o folículo, o indicado é que se lave/enxágue muito bem para, assim, remover todo o produto ao final da aplicação”, recomenda. 

Além disso, outra recomendação é escolher produtos com fórmulas biocompatíveis, que não tenham tantos ativos irritativos, como é o caso dos derivados da amônia e de formaldeído.

Leia também: Câncer no couro cabeludo: lesões escondidas atrasam diagnóstico

Os problemas de exagerar na química

Por serem substâncias irritativas e com potencial inflamatório, tinturas e alisamentos podem induzir dermatites de contato. Além disso, podem prejudicar a performance das células foliculares, isto é, as células que produzem o fio de cabelo. 

“Isso, a longo prazo, pode significar o enfraquecimento dos fios, processos inflamatórios crônicos no couro cabeludo e até quedas de cabelo, por exemplo”, diz a Dra. Bianca. 

Como proteger o couro cabeludo? 

Já explicamos um pouco sobre os principais cuidados acima. Mas o ideal é escolher fórmulas que não sejam tão abrasivas ou agressivas, como as derivadas de amônia, formaldeído e outras substâncias de alisamento. 

“Fora isso, se possível, não aplicar tão próximo ao couro cabeludo e, no momento do enxágue, usar água abundantemente para não deixar resíduos dessas formulações”, finaliza. 

Fonte: Bianca Viscomi, dermatologista

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.