Casais tendem a compartilhar certos problemas de saúde

8 de outubro, 2021

Ao olhar para mais de 33 mil casais heterossexuais do Japão e da Holanda, pesquisadores dos dois países perceberam uma relação na incidência de certos problemas de saúde, como hipertensão e diabetes. Além disso, houve uma semelhança nas taxas de colesterol e de triglicerídeos. Ou seja, homens e mulheres em um mesmo relacionamento tendiam a apresentar um quadro de saúde mais parecido do que a média da população.

Para chegar a esses resultados, foram analisadas as informações de 5 391 casais a partir de duas bases de dados — a Tohoku Medical Megabank Organization (ToMMo) e a Lifelines. Dessa forma, as idades médias dos maridos e das esposas holandesas eram de 50 e 47 anos, respectivamente. Já as dos participantes japoneses, 63 e 60 anos.

De acordo com os pesquisadores, similaridades significativas foram encontradas em diferentes fatores de risco cardiometabólicos. Homens exibiam um risco aumentado para hipertensão se as esposas apresentassem a doença, por exemplo. O mesmo foi visto para a síndrome metabólica (MetS), um conjunto de alterações que favorece problemas cardiovasculares. “Maridos cujas esposas tinham MetS apresentavam uma probabilidade 70% maior [da mesma condição]”, destacam os autores, no artigo.

Leia também: Casais perdem mais peso juntos do que separados, diz estudo

Dia a dia em comum

Também foram encontradas semelhanças nos hábitos, como consumo de bebida alcoólica e uso de cigarro. Casais entre 20 e 39 anos, por exemplo, tiveram maior “concordância” (ambos consumiam) para o tabagismo.

Entre os países, no entanto, algumas discrepâncias foram apontadas. Os casais holandeses, por exemplo, demonstraram maior similaridade em traços antropométricos (físicos) e hábitos de vida do que os japoneses. Segundo os autores da pesquisa, publicada no periódico Atherosclerosis, características culturais estariam por trás desse achado.

Leia também: Terapia de casal: Tudo o que você precisa saber

Casais e problemas de saúde: Orientações

Apesar da alta similaridade no estilo de vida, muitas das correlações ocorreram entre casais com uma baixa semelhança genética. Isso ressalta a importância da escolha de hábitos saudáveis. “Ao longo do relacionamento, os casais podem ter uma performance similar com relação às atividades físicas devido a fatores ambientais compartilhados [por exemplo, acesso a uma academia] e interação entre o casal”, explicam os cientistas envolvidos na investigação.

De acordo com eles, intervenções dirigidas aos cônjuges para mudança de estilo de vida seriam mais efetivas. E isso, por sua vez, reduziria o risco de diferentes doenças.

(Fonte: Agência Einstein)