Candida auris: conheça os sintomas e tratamento do “superfungo”

Saúde
13 de Janeiro, 2022
Leticia Ramirez Naper de Souza
Revisado por
Nutricionista • CRN-3 63183
Candida auris: conheça os sintomas e tratamento do “superfungo”

O Candida Auris é chamado de superfungo, mas você sabe o que é isso? Trata-se de um fungo que possui resistência à antibióticos e antifúngicos comuns usados para tratar doenças causadas por outras espécies de Candida. O fungo permanece no ambiente por longos períodos, que podem chegar a meses, e resiste a diversos tipos de desinfetantes.

O Candida auris foi encontrado pela primeira vez em 2009, quando infectou uma mulher de 70 anos. Na sequência, começou a se espalhar pelo continente asiático e, em 2016, já tinha chegado a países como Estados Unidos, Coreia do Sul, Índia e Inglaterra.

O superfungo causa preocupação, especialmente em espaços hospitalares, haja vista a grande dificuldade para exterminá-lo do ambiente, além de atingir, principalmente, pessoas imunossuprimidas. Conheça os sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção da infecção pelo Candida auris.

Leia mais: Pequenos hábitos que ajudam a fortalecer a imunidade

Anvisa confirma casos no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou, recentemente, a terceira infecção causada pelo fungo Candida auris no Brasil. O caso foi diagnosticado em um hospital da cidade do Recife, em Pernambuco. Segundo o órgão, foram adotadas ações para prevenção e combate à disseminação do superfungo no organismo, incluindo protocolos de segurança no hospital em que o paciente infectado estava internado.

Casos de infecções pelo fungo trazem risco de surto e demandam monitoramento e medidas de prevenção e controle para impedir a disseminação em outros pacientes. Dessa forma, a Coordenação Estadual de Prevenção e Controle de Infecção de Pernambuco e a Anvisa estão monitorando o caso e as ações para controle de novas infecções.

Vale lembrar que o primeiro caso em solo brasileiro foi registrado em dezembro de 2020, na Bahia. Após ser notificada, a Anvisa emitiu uma nota de alerta destacando que o fungo significa uma ameaça à saúde global.

Quais são os sintomas do fungo Candida auris?

De acordo com a Anvisa, o Candida auris pode causar infecção na corrente sanguínea e outras infecções invasivas, podendo ser fatal, principalmente em pacientes imunodeprimidos ou com comorbidades. Dessa forma, o risco é maior para aquelas pessoas que estão internadas em hospitais por um longo período de tempo ou em uma casa de repouso. Além disso, pacientes de unidades de tratamento intensivo têm muito mais chance de se infectarem.

O risco também é maior se você já tiver tomado muitos antibióticos, uma vez que este tipo de medicação também destrói as bactérias boas que podem impedir a entrada do superfungo. Nesse sentido, pacientes diagnosticados com a infecção apresentam sintomas como:

  • Febre;
  • Tontura;
  • Fadiga;
  • Aumento da frequência cardíaca;
  • Vômitos.

Diagnóstico e tratamento

Detectar o Candia Auris não é tarefa fácil. Isso porque, no Brasil, apenas as unidades do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que fazem parte da rede do Ministério da Saúde, e alguns hospitais universitários, possuem os equipamentos que conseguem identificar o agente infeccioso nos exames de sangue.

Assim como a detecção, o tratamento também é difícil, devido à resistência aos antifúngicos normalmente utilizados no tratamento desse tipo de infecção. Dessa forma, o tratamento é definido pelo médico de acordo com a gravidade da infecção e com o sistema imunológico do paciente, podendo ser indicado o uso de antifúngicos da classe das Equinocandinas ou a combinação de vários antifúngicos em altas doses.

É importante que a infecção seja identificada e tratada o mais rápido possível para evitar que esse fungo espalhe-se pela corrente sanguínea e dê origem à infecção generalizada, o que é muitas vezes fatal.

Como prevenir o Candida auris

Como o fungo aparece normalmente em pessoas que estão internadas, o maior foco de prevenção é dentro do hospital. Por isso, lave as mãos antes, durante e depois da ida a esses ambientes

Além disso, melhorar o diagnóstico ajudá a identificar os pacientes infectados mais cedo, o que significa oferecer o tratamento correto – prevenindo a disseminação da infecção para outros pacientes.

Por fim, vale lembrar que o Candida auris é muito resistente e pode sobreviver em superfícies por um longo tempo. Além disso, não é possível eliminá-lo usando os detergentes e desinfetantes mais comuns. Dessa forma, é importante utilizar os produtos químicos de limpeza adequados para eliminá-lo dos hospitais, especialmente se houver um surto.

Leia mais: Dengue, zika e chikungunya: O que espera o brasileiro neste verão?

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde

Leia também:

Ozempic, Wegovy e Mounjaro
Saúde

Ozempic, Wegovy e Mounjaro: endocrinologista explica diferenças

Como as chamadas "canetas emagrecedoras" atuam contra o diabetes e obesidade?

Mulher grávida ao lado de um médico, que está olhando uma prancheta, explicando as doenças mais comuns na gravidez
Gravidez e maternidade Saúde

7 doenças mais comuns na gravidez e como identificá-las

As alterações da gravidez podem enfraquecer o sistema imunológico da mulher, tornando-a mais propensa a doenças e infecções comuns no período

Creatina na menopausa
Alimentação Bem-estar Saúde

Creatina na menopausa: suplemento ameniza efeitos e promove bem-estar

A suplementação surge como uma alternativa promissora para combater os efeitos negativos da menopausa e promover o bem-estar feminino