Dicas para não deixar o calor atrapalhar o treino

12 de dezembro, 2019

Com a chegada do final do ano também aumenta o calor, o que pode dificultar a prática e o rendimento das atividades físicas. Devido às altas temperaturas, o corpo reduz a capacidade cardiorrespiratória e resistência anaeróbica durante os exercícios, isso porque é utilizada mais energia para resfriar os músculos.

Também, com a proximidade do verão, normalmente, as pessoas ficam mais preocupadas com a boa forma, o que também potencializa a rotina de exercícios.

“Devemos sempre respeitar os limites biológicos de cada um, sabendo o momento certo de parar as atividades para não sobrecarregar demais o corpo com o calor. Todo treino em excesso pode ser prejudicial à saúde e atrapalhar diretamente os resultados”, explica Bruno Henrique de Oliveira, educador físico.

Siga essas dicas do profissional para não se desidratar e evitar lesões.

Hidratar-se 

A água representa cerca de 60% do peso total do corpo de um pessoa adulta. Além de ser o principal componente das nossas células, ela é responsável pelo transporte de nutrientes, sais minerais e regula a temperatura corporal. Quando o calor se torna exagerado, inicia-se a liberação de suor, causando resfriamento do corpo.

Portanto, é fundamental se hidratar durante a prática de atividade física. O recomendado é que cada pessoa deve tomar 0,5 ml x peso corporal de água por dia. Por esse motivo, não deixe de sair de casa sem uma garrafinha de água, seja para a reposição de líquido ou até mesmo para jogar no corpo.

Horários e volume dos treinos

Nesse período, vale optar por treinar pela manhã ou início da noite. Pois, esses são horários em que a temperatura é mais amena e com melhor umidade. Assim, possibilita que você tenha treinos mais produtivos, com menor sensação de cansaço e fadiga. 

Da mesma forma, seu instrutor deve sempre diminuir intensidade e volume do seu treino para não sobrecarregar seu corpo, respeitando o limite biológico e os objetivos de cada um.

Alimentação

No inverno, o metabolismo costuma ficar mais acelerado e, assim, o corpo sente uma necessidade maior de comer alimentos mais calóricos. Entretanto, no verão, é ideal investir em alimentos mais leves, como frutas, saladas, sucos e vitaminas.

De acordo com o educador físico, essa é uma excelente estratégia. Pois, além de ter mais disposição e energia durante os treinos, você também mantém a dieta. Afinal, esses alimentos ajudam na digestão, evitando a indisposição e sensação de fraqueza, que atrapalham os resultados nos treinos. O ideal é ter uma orientação e acompanhamento de um nutricionista.

Leia também: O que comer depois do treino

Roupas 

Tecidos leves e confortáveis podem fazer toda a diferença na hora do treino. Também facilitam na execução dos estímulos, além de ter uma proteção adequada contra os raios ultravioletas. 

De preferência, use bermudas e camisetas leves, se possível com proteção UV. Além de boné, viseira, óculos de sol e, o mais importante, protetor solar.

Local

Escolher o ambiente certo para se exercitar é de extrema importância. Tente procurar treinar sempre na sombra, de preferência em horários matinais, para evitar a desidratação. 

Se você tiver a opção de escolher a modalidade, opte em escolher atividades na piscina e na praia, como natação, surf e hidroginástica. É uma boa maneira de conhecer outros esportes e ter novas oportunidades.

Dificuldade

No calor pode ser difícil ter foco, por se tornar mais cansativo. Você não pode desistir ou desanimar, tente respeitar seus limites e ajustar o volume e diminuir a intensidades dos treinos.

Cãibra

Para evitar os espasmos musculares, você pode apostar em alimentos ricos em potássio e magnésio, como banana. Se as dores continuarem, não desanime, apenas tente parar o treino, aumente a intensidade nos exercícios de alongamento e procure ingerir mais líquido durante o dia.

Fonte: Bruno Henrique de Oliveira, educador físico e coordenador técnico da Health4u Academia

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Repórter