Alveolite: o que é, sintomas, causas e tratamento

25 de fevereiro, 2022

Seja por uma complicação infecciosa, ou pela presença de um dente do siso, é comum que um dos procedimentos mais buscados na hora de ir ao dentista seja a extração. Mas, se o procedimento não ocorrer de forma cuidadosa, ela pode ocasionar em um problema de saúde preocupante: a alveolite.

Esse processo inflamatório acaba infectando a formação e a retenção de coágulo na região bucal, acometendo as porções ósseas mais superficiais do alvéolo dentário. Esse alvéolo é a cavidade do osso que dá suporte às raízes dos dentes nas arcadas dentárias.

Ela é uma das complicações pós-operatórias mais frequentes após a extração de dentes permanentes, e sua etiologia ainda não é completamente clara pela ciência.

Causas

Sabe-se, porém, que alguns fatores podem aumentar as chances para a instalação deste quadro, como por exemplo:

  • Perda prematura do coágulo sanguíneo
  • Deficiências no sistema imunológico do paciente (imunossuprimidos)
  • Presença de infecção próximo ao local operado
  • Trauma inerente ao processo de extração
  • Tabagismo
  • Uso de contraceptivos orais
  • Higienização inadequada por parte do paciente

Sintomas de alveolite

Entre os sinais mais relatados por pacientes com alveolite, a dor forte e irradiada em torno do local em que foi feita a extração é a mais evidente. Além disso, a presença de mau hálito e, possivelmente, um gosto ruim na boca também podem ser prevalentes.

Mas, normalmente, tais sintomas costumam aparecer entre o segundo e o quinto dia após a realização do procedimento cirúrgico, e são capazes de se agravar com o passar do tempo, se não forem tratados.

Contudo, estima-se, ainda, que exista uma maior incidência de alveolite em pacientes imunocomprometidos, fumantes, mulheres que fazem uso de contraceptivos orais e que portadores de diabetes.

Diagnóstico e tratamento para alveolite

O diagnóstico deve ser realizado por meio de um exame clínico. Ou seja, feito pelo cirurgião-dentista e incluindo a investigação dos sinais e sintomas apresentados pelo paciente, como dor severa e ausência de coágulo.

Mas, felizmente, existe um tratamento para a alveolite. Ele costuma ser feito principalmente à base de antibióticos e analgésicos, podendo ser necessária a realização de irrigação com soro fisiológico.

Eventualmente, também mostra-se necessária uma leve curetagem, que é a colocação de medicamentos diretamente no local (alvéolo), e a possível aplicação de laser terapêutico, para auxiliar na analgesia e bioestimulação celular. 

Além disso, as medidas terapêuticas podem variar de caso para caso, dependendo da situação clínica apresentada, norteando a conduta mais adequada realizada pelo cirurgião-dentista.

Leia também: Língua branca: saiba tudo sobre esse sintoma

Prevenção

De maneira geral, é importante manter os cuidados com a saúde sempre em dia, para ter uma ótima resposta do sistema imunológico. No período pós-operatório, vale observar atentamente a ingestão dos medicamentos no horário e quantidade adequada, com especial atenção aos antibióticos. 

Por fim, é importante seguir todas as orientações pós-operatórias, incluindo a correta higienização bucal.

Fonte: Sidney Neves, cirurgião-dentista especialista e mestre em irurgia e traumatologia bucomaxilofacia com graduação em Odontologia pela Universidade de Santo Amaro. Vice Presidente eleito na APCD – Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas – Central e Coordenador de Cursos em Cirurgia na FAOA – Faculdade de Odontologia da APCD.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.