Fazer tricô pode reduzir depressão, ansiedade e dor crônica

13 de abril, 2020

Fazer tricô é muito mais do que um simples passatempo ou uma maneira de ganhar dinheiro. É possível exercitar a mente e tricotar no sofá, metrô, enquanto ouve música e em qualquer lugar. Além disso, a prática também pode reduzir depressão, ansiedade e dor crônica. 

De acordo a Knit for Peace, uma rede de 15 mil tricotadores no Reino Unido que “tricotam para quem precisa”, existem evidências substanciais que sugerem que tricotar é benéfico para a mente e corpo. A instituição de caridade britânica realizou uma revisão de estudos e também uma pesquisa perguntando a mil membros sobre suas experiências com tricô.

Assim, o movimento repetitivo de tricotar que resulta em um cachecol, um xale ou um par de luvas libera simultaneamente serotonina no cérebro, reduzindo dores mentais e físicas. O estudo mostrou que 81% dos entrevistados descreveram se sentir mais felizes após uma sessão de tricô.

Dessa forma, o ato de tricotar pode também reduzir a frequência cardíaca em média de 11 batimentos por minuto, provocando um estado de relaxamento.

Leia também: Meditação da compaixão: O que é e como praticar

Na pesquisa do Knit for Peace, 30% afirmaram acreditar que a atividade ajudou a reduzir a ansiedade e pressão sanguínea, além de combater a depressão.

Benefícios do tricô

Além de poder reduzir a ansiedade, dores e combater depressão, conheça outras vantagens de tricotar.

  • Ajuda a relaxar;
  • Melhora humor e alegria;
  • Favorece a capacidade de concentração;
  • Proporciona uma sensação de bem-estar ;
  • Aumenta a autoestima e autoconfiança;
  • Evita o declínio das funções cerebrais.

Leia também: Jardinagem pode aliviar o sentimento de solidão

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.