Terrorismo nutricional: O que é e como prejudica a saúde

Alimentação Bem-estar Equilíbrio
23 de Novembro, 2020
Terrorismo nutricional: O que é e como prejudica a saúde

Brigadeiro é proibido, carboidrato engorda e gordura faz mal. Não é de hoje que vemos afirmativas como essas aparecerem cada vez mais no discurso de quem busca perder peso. Assim, dietas radicais e restritas, nas quais se cortam certos ingredientes ou grupos inteiros de macronutrientes, fazem parte do chamado terrorismo nutricional – ou terrorismo alimentar.

Apesar de popular, essa prática pode levar a compulsão alimentar, falta de nutrientes e até a disfunções hormonais.

Por isso, a base da reeducação alimentar é compreender que não existem “alimentos inimigos” que precisem ser integralmente evitados. Na verdade, a dica é sempre focar no equilíbrio e saber como balancear as quantidades. Ou seja, o extremismo alimentar é condenável e precisa ser evitado.

O terrorismo também pode levar ao diagnóstico de desordens ou transtornos alimentares, em especial a ortorexia nervosa, descrita como o comportamento obsessivo caracterizado pela fixação por saúde alimentar. Ou seja, a pessoa diagnosticada com ortorexia tende a se preocupar demais com sua alimentação ao ponto de evitar comer a menos que seja uma refeição “100% saudável”.

Terrorismo nutricional x dieta balanceada

De modo geral, uma alimentação balanceada é aquela que fornece ao corpo os nutrientes necessários para funcionar corretamente. Assim, para obter a nutrição adequada, você deve consumir a maioria de suas calorias diárias em:

  • Frutas frescas;
  • Vegetais frescos;
  • Grãos integrais;
  • Leguminosas;
  • Oleaginosas;
  • Gorduras boas, como azeite de oliva e salmão;
  • Proteínas magras.

Por que uma dieta balanceada é importante?

Uma dieta equilibrada é importante porque os órgãos e tecidos precisam de nutrição adequada para funcionar de maneira eficaz. Portanto, sem uma boa nutrição, o corpo é mais propenso a doenças, infecções, fadiga e mau desempenho. Crianças com dieta pobre correm o risco de problemas de crescimento e desenvolvimento e baixo desempenho acadêmico. Ainda, maus hábitos alimentares podem persistir pelo resto de suas vidas. 

Dessa forma, os níveis crescentes de obesidade e diabetes pelo mundo são exemplos dos efeitos de uma dieta pobre e da falta de exercício. Além disso, doenças cardíacas, câncer e acidente vascular também estão relacionados à alimentação. 

Leia também: Lipo LAD: A romantização das plásticas e a saúde mental

Sobre o autor

Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo

Leia também:

chá de canela
Alimentação Bem-estar

Chá de canela: para que serve, benefícios e como preparar

A bebida é uma ótima opção para esquentar o corpo — muitos afirmam, ainda, que ela emagrece. Saiba tudo sobre o chá de canela

Farinha de chia
Alimentação Bem-estar

Farinha de chia: benefícios e opções de receitas

A farinha de chia é obtida a partir da moagem das sementes de chia, trazendo praticamente os mesmos benefícios dessas sementes

mulher fazendo o exercício stiff na academia
Bem-estar Movimento

Stiff fortalece pernas e glúteos: conheça os benefícios, dicas e como fazer

O stiff é uma ótima opção de exercício para quem quer trabalhar glúteos e posteriores de coxa