Muito tempo livre pode causar estresse e prejudicar o bem-estar

10 de setembro, 2021

Com uma rotina cada vez mais intensa, é difícil arrumar um tempinho para relaxar e se dedicar às atividades que proporcionam prazer. Seja um período dedicado a um hobby, um esporte ou curso, à medida que o tempo livre de um indivíduo aumenta, também aumenta a sensação de bem-estar. Mas, apenas até certo ponto. Pois, por incrível que pareça, muito tempo livre também pode ser prejudicial, de acordo com uma pesquisa publicada pela American Psychological Association.

No dia a dia, é comum reclamar de estar muito ocupado e expressar a vontade de ter mais tempo livre. Mas, na verdade, essa folga está mesmo relacionada a uma maior felicidade? “Descobrimos que o excesso de horas vagas resulta em maior estresse e menor bem-estar”, disse Marissa Sharif, PhD, principal autora do artigo. “No entanto, embora pouco tempo seja ruim, ter mais tempo nem sempre é melhor.”

Mais tempo livre nem sempre é positivo: Entenda a pesquisa

Os pesquisadores analisaram os dados de 21.736 americanos. Os participantes forneceram um relato detalhado do que fizeram durante as 24 horas anteriores – indicando a hora do dia e a duração de cada atividade – e relataram sua sensação de bem-estar. Assim, a análise concluiu que, à medida que o tempo livre aumentava, o bem-estar também aumentava. Mas, estabilizou em cerca de duas horas e começou a diminuir após as cinco. As correlações em ambas as direções foram estatisticamente significativas.

Os cientistas, então, realizaram dois experimentos online envolvendo mais de 6 mil participantes.

No primeiro experimento, os participantes foram convidados a imaginar ter 15 minutos, 3,5 horas ou sete horas de tempo livre por dia por pelo menos seis meses.

Assim, aqueles que tinham apenas 15 minutos ou sete horas de tempo livre por dia disseram que seu bem-estar era significativamente menor do que aqueles que tinham uma quantidade ‘moderada’. Por outro lado, aqueles que tiveram muito tempo de lazer disseram que se sentiram mais estressados ​​e menos produtivos.

Leia também: Desvalorizar o tempo de lazer pode prejudicar a saúde mental

Conclusão

“Nossas descobertas sugerem que as pessoas deveriam se esforçar para ter uma quantidade moderada de horas para gastar como querem”, explica a pesquisadora. Os resultados foram publicados no Journal of Personality and Social Psychology.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.