Por que sofremos por personagens fictícios?

Bem-estar Equilíbrio
20 de Setembro, 2022
Por que sofremos por personagens fictícios?

Você está assistindo um episódio de uma série, quando, de repente, o seu personagem favorito morre. Em Grey’s Anatomy, por exemplo, cenas desse tipo são super comuns, por isso a série é conhecida por causar “sofrimento” nos fãs. As pessoas passam por essa situação em filmes que duram poucas horas e até mesmo em livros. Mas por que será que nós sofremos por personagens fictícios?

A psicóloga cognitiva Rejane Sbrissa, explica que nos apegamos aos personagens quando há um vínculo de empatia, uma identificação ou admiração. “Essa conexão pode se intensificar e a pessoa enxergar aquele personagem como se fosse um amigo muito próximo. E daí, com essa identificação, vem o sofrimento quando o personagem morre”, diz.

A formação da conexão

Segundo um estudo publicado no Social Cognitive and Affective Neuroscience, quanto mais as pessoas se conectam com as histórias, mais elas “se tornam” os personagens fictícios. Ou seja, as crenças, atitudes e comportamentos podem ficar semelhantes.

Para Rejane, os personagens são criados justamente para ter personalidade e características humanas, para que a trama seja mais envolvente. Eles, inclusive, também cometem erros e têm defeitos. Por isso, as pessoas se sentem tão conectadas.

“De maneira indireta, os personagens conversam com quem está do outro lado, contam seus problemas, fracassos, defeitos e realizações. É como se fosse uma vida real e isso gera apego”, afirma a psicóloga.

Ainda de acordo com Rejane, a psicanálise explica que a conexão entre duas pessoas ocorre quando elas estabelecem um vínculo forte. “Quanto mais longa a série, a novela, o filme ou o livro, mais a pessoa se identifica e mais sofre. Além disso, ao se conectar com um ser fictício, mostramos um lado mais humano, que respeita as diferenças, amplia a forma de pensar e tem empatia. Ou seja, nos colocamos no lugar do outro”, lembra.

Leia também: Rainha Elizabeth II: por que ficamos tristes com a morte de figuras públicas?

Como lidar com a morte de personagens fictícios? 

Lidar com o luto não é uma tarefa fácil. Quando o assunto é morte de personagens fictícios, não é diferente. É normal passarmos por um processo de tristeza, luto, angústia e outras emoções. Mas a boa notícia é que você pode lidar com esse processo seguindo algumas dicas da psicóloga Rejane:

  • Viva seu luto: chore e expresse seus sentimentos e sua tristeza. Independente do personagem ser fictício, seus sentimentos são reais. Sentir o luto mostra que você tem empatia; 
  • Faça as coisas que você gosta: espairecer a mente é uma ótima maneira de lidar com isso. Portanto, faça um passeio em um parque, por exemplo;
  • De tempo em tempo: o luto é um processo e cada um tem seu tempo pra se sentir melhor;
  • Converse sobre: encontre outros fãs desse mesmo personagem, desabafe e exponha seus sentimentos, eles vão te entender;
  • Guarde recordações desse personagem: com o tempo ficará só a saudade.

Fonte: Rejane Sbrissa, psicóloga cognitivo comportamental especializada em compulsões.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina

aveia com limão
Alimentação Bem-estar

Dieta Oatzempic: suco de aveia com limão realmente emagrece?

Shake não oferece riscos, mas não cumpre efeitos milagrosos na perda de peso