Sal em excesso: estudo aponta que a maioria dos brasileiros ultrapassa o limite indicado

Alimentação Bem-estar
22 de Março, 2023
Sal em excesso: estudo aponta que a maioria dos brasileiros ultrapassa o limite indicado

Mais da metade dos adultos brasileiros consome sal em excesso e em quantidade superior a dos padrões estabelecidos para prevenção de doenças. O dado é de uma nova pesquisa feita na Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Instituto Pensi, Fundação José Luiz Egydio Setubal e Hospital Infantil Sabará. Continue lendo e saiba mais. 

Veja também: Excesso de sal na alimentação aumenta estresse, diz estudo

Sal em excesso: a maioria dos brasileiros ultrapassa o limite indicado

A pesquisa mostrou que 56% da população acima de 20 anos ultrapassa o limite recomendado pela Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina dos Estados Unidos (National Academies of Sciences, Engineering, and Medicine), que é de 2.300 miligramas ao dia.

Nesse sentido, o consumo do sódio ocorre principalmente por meio do sal de cozinha – mistura com 60% de cloreto e 40% de sódio. Ou seja: 1 grama de sal contém 400 mg de sódio. Entretanto, no Brasil, de acordo com o estudo, a ingestão média é de 2432 miligramas ao dia, equivalente a 6 gramas de sal – 1 colher de chá cheia ou 1 colher de sobremesa nivelada.

Contudo, o grupo analisado que mais extrapolou no consumo de sódio foi o de homens jovens, na faixa dos 20 a 29 anos. Dessa forma, alimentos como pão francês, feijão, arroz e bife são os itens que mais contribuíram para o índice nessa faixa etária.

Perfil de consumo

Os autores coletaram informações sobre o perfil alimentar de mais de 28 mil adultos por meio dos dados da Pesquisa Nacional de Orçamentos Familiares, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Assim, os participantes descreveram tudo o que haviam ingerido em dois períodos diferentes de 24 horas.

“Os dados mostram que, apesar de todos os esforços para reduzir o consumo de sódio, os resultados ainda são muito discretos”, diz a nutricionista Paula Victória Félix, uma das autoras do trabalho.

“Os mais jovens estão sendo expostos mais cedo a grandes quantidades de sal e açúcar, o que vai acostumando as papilas gustativas a quantidades cada vez maiores. Além disso, são os que mais consomem alimentos prontos e pedem comida rápida. Os idosos, ao contrário, acabam seguindo mais as recomendações médicas”, afirmou ela.

Campeões mundiais

Sabe-se que o excesso de sódio é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares como hipertensão e acidente vascular cerebral. Portanto, diminuir esse consumo é uma das intervenções mais efetivas em termos de custo-benefício para reduzir a incidência dessas doenças, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Brasil está alinhado com o compromisso global de reduzir em 30% essa ingestão até 2025.

Contudo, apesar desses resultados, o Brasil não está entre os campeões na ingestão de sódio. Entre os países com maior consumo, estão alguns asiáticos, como a China, com aproximadamente 6900 mg/dia – índice ligado a uma culinária altamente condimentada com molhos salgados – e países do leste europeu como Polônia (4300mg/d) e Romênia (5000 mg/dia), devido à alta preferência por embutidos. Os números são do último relatório global da OMS. Assim, os menores consumidores são países africanos como Congo, com 2000 mg/dia.

Porém, a boa notícia é que é possível aprender a consumir menos sal e treinar o paladar para apreciar o sabor real dos alimentos. Assim, por vezes uma única porção atinge metade do recomendado por dia:

  • 100 g salsicha ou cachorro-quente – 1460 mg sódio
  • Uma fatia de Pizza ou calzone – 1100 mg sódio
  • Um pão francês – 300 mg sódio

Como evitar o sal em excesso 

  • Reduza gradativamente a quantidade de sal usada no preparo. Isso pode ser feito aos poucos. Portanto, se você usa uma colher de chá para temperar a comida, experimente usar três quartos, e depois metade da colher;
  • Troque o sal por outros temperos, como ervas secas ou até mesmo frescas, se possível;
  • Evite enlatados e optar por conservas ao vapor;
  • Leia rótulos dos alimentos comprados. Há uma grande diferença na quantidade de sal entre as diversas marcas;
  • Tire o saleiro da mesa;
  • Reduza o consumo de refeições prontas e de embutidos como salsicha, presunto, salame;
  • Experimente alternativas ao pãozinho, como por exemplo a tapioca e cuscuz, que são preparações que conseguimos controlar a quantidade de sal.

Fonte: Agência Einstein.

Leia também:

Remada baixa
Bem-estar Movimento

Remada baixa: para que serve e como fazer?

Comum em treinamento de força, o exercício fortalece os músculos das costas, como o dorso e trapézio

elevação pélvica
Bem-estar Movimento

Elevação pélvica: como fazer, benefícios e substituições

A elevação de quadril, também chamada de hip thrust ou elevação pélvica, é o ótima para trabalhar glúteos e pernas

chá de canela
Alimentação Bem-estar

Chá de canela: para que serve, benefícios e como preparar

A bebida é uma ótima opção para esquentar o corpo — muitos afirmam, ainda, que ela emagrece. Saiba tudo sobre o chá de canela