Neuroma do acústico: saiba mais sobre o tumor que afeta a audição

27 de julho, 2022

Você já sentiu tonturas, zumbidos e até mesmo uma perda de audição repentina? Muitas vezes ignoramos esses sintomas no dia a dia, mas devemos ficar atentos: isso pode significar a presença do neuroma do acústico, um tipo de tumor que afeta o ouvido e que pode diminuir a qualidade de vida de quem convive com a condição.

A boa notícia é que ele é benigno e tem tratamento. Conversamos com o otorrinolaringologista Fernão Bevilacqua para entender melhor sobre o assunto. Confira.

O que é o neuroma do acústico?

O neuroma é um tumor, ou seja, um crescimento exagerado de células que acontece no nervo vestibulococlear, também conhecido como nervo auditivo ou acústico, dentro do ouvido. “Ele pode afetar um lado ou os dois lados do ouvido. E quando o neuroma cresce comprime o nervo, causando os sintomas”, explica o médico.

De acordo com o médico, o tumor, geralmente, cresce lentamente, mas em alguns casos ele pode atingir e comprimir o cérebro. Com isso, pode causar sintomas mais graves, como perda de sensibilidade na face e até mesmo paralisias. “Quando ele vai para dentro do crânio, começa a comprimir outras estruturas e pode acontecer perda de consciência, náuseas, desmaios, entre outros sintomas”, conta o médico.

Por isso, diante de qualquer sintoma, é muito importante não ignorar e procurar um médico otorrinolaringologista para investigar as queixas.

Sintomas

Os principais sintomas vão depender do tamanho do tumor, mas, em geral, são:

  • Zumbidos no ouvido
  • Tonturas
  • Falta de equilíbrio
  • Perda de audição
  • Dor de cabeça
  • Paralisia facial
  • Desmaios
  • Náuseas

Diagnóstico

Um dos exames mais utilizados para diagnosticar o neuroma do acústico é a ressonância magnética, que permite acompanhar o tamanho do tumor mesmo pequeno. Além disso, o médico pode solicitar também a realização de testes para avaliar a audição.

Quais são as causas?

De acordo com Fernão, não existe uma causa definida para o neuroma do acústico. “Contudo, alguns estudos sugerem que pode ser uma questão genética, que altera o cromossomo 22. Mas não é uma condição hereditária, a pessoa pode vir a desenvolver o neuroma ao longo da vida”, explica. Além disso, por desconhecer as possíveis causas, não há como prevenir o tumor.

Tratamentos do neuroma do acústico

O otorrino destaca que, na maioria dos casos, o tratamento envolve somente o acompanhamento pelo médico, através de exames, do crescimento do tumor. Contudo, geralmente, o tumor cresce lentamente, poucos milímetros ao ano. Além disso, a cirurgia é um procedimento bastante invasivo que traz riscos para o paciente, por isso só é orientada em último caso.

Um dos métodos que vem sendo bastante utilizado nos últimos anos é a radiocirurgia. Neste procedimento não é necessário abrir a cabeça do paciente: é utilizada uma radiação precisa no local do tumor. Com isso, é possível eliminar as células do neuroma.

Mas, em casos maiores, a cirurgia para retirada completa do tumor é indicada. “Avaliamos cuidadosamente cada caso e pesamos os riscos e benefícios para cada um”, conta Fernão. De acordo com o HCor, quando tratado com radiocirurgia a chance do tumor voltar é de apenas 3%, já em comparação com a cirurgia é de 11% de risco de reaparecimento do neuroma.

Fonte: Fernão Bevilacqua, otorrinolaringologista do Hospital Albert Sabin de SP (HAS).

Referência: HCor

Sobre o autor

Beatriz Libonati
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em diabetes e obesidade.