Monovin A: O que é e porque você não deve usá-lo no cabelo

Beleza Bem-estar
17 de Fevereiro, 2022
Monovin A: O que é e porque você não deve usá-lo no cabelo

A relação entre os cabelos femininos e a autoestima é bem conhecida. Afinal, toda mulher já sentiu uma preocupação com a aparência e um baque no seu bem-estar quando percebe os cabelos caindo mais do que o normal. Porém, isso não significa que os famosos shampoos bomba ou substâncias como Monovin A devem entrar na cena para reverter os danos. Vamos entender o porquê a seguir. 

Monovin A: Entendendo os ciclos capilares

Antes de falarmos sobre soluções para quedas capilares, precisamos entender que o cabelo segue um ciclo de três fases. A fase anágena, de crescimento do cabelo; a fase catágena, uma fase de transição; e a fase telógena, quando o fio naturalmente desprende do couro cabeludo. 

Compreender esses ciclos é importante porque existem doenças que acometem o cabelo de diferentes maneiras e em diferentes fases. Por exemplo, existem dois tipos de eflúvios: o anágeno, muito comum em pacientes que estão fazendo quimioterapia, e o telógeno, marcado por quedas de cabelo bastante significativas depois de um período de estresse.   

Em situações normais, é esperado que o seu cabelo caia. Independentemente do volume capilar que você tenha, o normal é caírem de 90 a 110 fios por dia. Os dermatologistas consideram uma doença quando o paciente apresenta quedas maiores do que esses números. 

Meu cabelo está caindo, e agora?

Um ponto de atenção, no entanto, é que muitas mulheres se assustam com a quantidade de cabelos que caem durante o banho, por exemplo. O que elas, às vezes, não consideram, é que esse “tufo” de cabelo que caiu ao lavar a cabeça pode ser apenas cabelos em fase telógena que se acumularam e não caíram nos dias em que ela não lavou a cabeça. Pense em uma situação em que você lava o cabelo entre duas ou três vezes na semana, por exemplo, e se assusta com a quantidade de fios que saem na mão ao passar o shampoo. 

“A real preocupação é quando o paciente começa a ver fios perdidos por toda a casa, no travesseiro, quando ele passa os dedos nos cabelos e já saem quantidades relevantes de fios”, explica o Dr. Werick França, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 

Pacientes que possuem pais ou avós que são calvos, a chamada “alopecia androgenética”, precisam ter uma atenção extra. Afinal, a possibilidade de também desenvolverem essa condição – que dá os primeiros sinais já na adolescência -, é grande. Ou seja, quanto antes o diagnóstico é feito, mais cedo o tratamento é indicado e maiores os resultados. 

Monovin A, Minoxidil, Shampoo Bomba… funcionam? 

Considerando a ligação do cabelo com a autoestima, é óbvio que as mulheres que andam lidando com quedas capilares significativas vão tentar de tudo, certo? No entanto, esse comportamento não é indicado. 

O Monovin A, por exemplo, é um produto que ganhou popularidade na internet pelo seu efeito nos cabelos. Para quem não conhece, essa é uma substância de uso veterinário, riquíssima em vitamina A, utilizada em bovinos e, mais conhecidamente, no tratamento das crinas dos cavalos. 

Ou seja, em teoria, essa substância faz, mesmo, o cabelo crescer, no entanto, bem mais grosso e com muitos riscos: como esse é um produto sem comprovação científica de uso em humanos, ele pode ter um efeito rebote, gerando um excesso de vitamina A no organismo e causando ainda mais quedas capilares, entre outros sintomas. 

Procure um profissional

Os chamados shampoos bomba costumam contar com ingredientes semelhantes, às vezes naturais, que prometem o crescimento rápido e forte dos fios. No entanto, o Dr. Werick explica que, apesar de darem a impressão de solucionar um problema, não resolvem, de fato, a causa das quedas. “O que vai resolver é achar o que está causando a queda do cabelo, se a doença está relacionada ao ciclo da fase anágena, telógena, ou catágena. O dermatologista é o profissional mais indicado para fazer esse diagnóstico e passar o medicamento correto. Muitas vezes, o paciente acaba gastando muito mais dinheiro com esses produtos comerciais e acaba não resolvendo efetivamente a queda de cabelo”, diz. 

Ao contrário, substâncias como o Minoxidil, também famoso no tratamento capilar, é desenvolvido para uso humano e tem os seus efeitos comprovados cientificamente – ele atua diretamente na fase anágena prolongando a vida dos fios no couro cabeludo. No entanto, o seu uso não pode ser indiscriminado, e o ideal é contar com a orientação de um dermatologista para usar as dosagens corretas. 

Ou seja, produtos para crescer o cabelo só se forem indicados por um profissional. Afinal, além dos riscos de perda de dinheiro com produtos que, no fim das contas, não são eficazes na causa, existe também o risco de desenvolvimento de outras doenças na pele e no couro cabeludo. 

Leia também: Canela no cabelo: para que serve, benefícios e como usar

Proteja seus lábios no frio

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Remada baixa
Bem-estar Movimento

Remada baixa: para que serve e como fazer?

Comum em treinamento de força, o exercício fortalece os músculos das costas, como o dorso e trapézio

elevação pélvica
Bem-estar Movimento

Elevação pélvica: como fazer, benefícios e substituições

A elevação de quadril, também chamada de hip thrust ou elevação pélvica, é o ótima para trabalhar glúteos e pernas

chá de canela
Alimentação Bem-estar

Chá de canela: para que serve, benefícios e como preparar

A bebida é uma ótima opção para esquentar o corpo — muitos afirmam, ainda, que ela emagrece. Saiba tudo sobre o chá de canela