Ministério da Saúde lança Guia Alimentar para crianças

Alimentação Bem-estar Gravidez e maternidade Saúde
14 de Novembro, 2019
Ministério da Saúde lança Guia Alimentar para crianças

De acordo com o Ministério da Saúde, 4,4 milhões de crianças estão acima do peso no Brasil. Mais de 2 milhões têm sobrepeso, cerca de 1 milhão tem obesidade e, aproximadamente, 750 mil crianças tem obesidade infantil grave. 

Os números são alarmantes e podem ser encontrados no novo Guia Alimentar para crianças menores de 2 anos, disponibilizado pelo Ministério da Saúde. O guia foi lançado juntamente com a 1ª Campanha Nacional de Prevenção da Obesidade Infantil, no dia 13 de novembro. 

O documento traz recomendações para que adultos e crianças tenham uma alimentação saudável. A nova versão tem uma linguagem mais voltada às famílias do que aos profissionais de saúde. Uma das principais recomendações é a de não oferecer açúcar nem alimentos ultraprocessados até a criança completar, pelo menos, 2 anos de vida, além de reforçar a importância da amamentação exclusiva nos primeiros seis meses do bebê.

Leia também: Alimentos que dão energia

Também recomenda o consumo de alimentos de acordo com grau de processamento: quanto mais natural, maior deve ser o espaço no prato e o quanto mais processado, menor o consumo.

Além da questão alimentar, o guia destaca o sedentarismo como uma das principais causas desse quadro. Com a popularização da internet e de equipamentos tecnológicos, as atividades físicas sofreram mudanças negativas ao longo do tempo. Dados nacionais indicam, por exemplo, que apenas 24% de crianças e jovens relatam ficar menos de duas horas por dia em frente a telas. 

12 passos para a alimentação saudável para crianças, de acordo com o Ministério da Saúde

  • Amamentar até 2 anos ou mais, oferecendo somente o leite materno até 6 meses.
  • Oferecer alimentos in natura ou minimamente processados, além do leite materno, a partir dos 6 meses.
  • Dar água própria para o consumo à criança em vez de sucos, refrigerantes e outras bebida açucaradas.
  • Oferecer a comida amassada quando a criança começar a comer outros alimentos além do leite materno.
  • Não oferecer açúcar nem preparações ou produtos que contenham açúcar à criança até 2 anos de idade.
  • Não oferecer alimentos ultraprocessados para a criança.
  • Cozinhar a mesma comida para a criança e para a família.
  • Zelar para que a hora da alimentação da criança seja um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto junto da família.
  • Prestar atenção aos sinais de fome e saciedade da criança e conversar com ela durante a refeição.
  • Cuidar da higiene em todas as etapas da alimentação da criança e da família.
  • Garantir à criança alimentação adequada e saudável também fora de casa.
  • Proteger a criança da publicidade de alimentos.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

mulher com as mãos na barriga
Saúde

Vaginismo afeta o bem-estar e pode ter causas emocionais

O vaginismo é um tipo de dor que acontece durante a penetração. As causas normalmente englobam aspectos psicológicos, e problema atrapalha a vida sexual

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

mulher de lado tomando um suco verde em um copo
Alimentação Bem-estar

Como comer mais fibras no dia a dia? Dicas simples

O nutriente promove saciedade, melhora o trânsito intestinal, ajuda a evitar picos de açúcar no sangue e diminui a absorção das gorduras. Veja como comer mais