Pesquisa comprova que assistir a filmes de terror pode emagrecer

23 de julho, 2019

Os fãs do gênero terror podem dar pulinhos de alegria graças a divulgação dessa pesquisa: cientistas da Universidade de Westminster, em Londres, garantem que esses filmes podem ajudar, sim, no emagrecimento.

O experimento foi algo simples: juntaram um bocado de pessoas que estavam dispostas a assistir os filmes mais assustadores já produzidos e monitoraram suas taxas fisiológicas. Ao analisar os batimentos, a quantidade de oxigênio que entrava no corpo e o dióxido de carbono que sai dele, concluíram que assistir a um filme apavorante pode fazer com que você queime o equivalente a uma barra de chocolate.

Como assim?

O medo libera adrenalina e isso faz com que nosso metabolismo trabalhe mais rapidamente. Além disso, a adrenalina também tem a característica de diminuir o apetite.

Em parceria com a Universidade Coventry, a Universidade Nottingham Trent (ambas britânicas) também mostrou resultados interessantes em seus experimentos. Avaliaram amostras de sangues dos voluntários antes, durante e depois de assistirem alguns filmes tenebrosos e relataram que os níveis de glóbulos brancos cresceram.

Em entrevista ao Daily Mail, a imunologista da University College of London, Natalie Riddell explicou: “Esse é o resultado de um processo de anos de evolução em busca de sobrevivência. Assistir a obras do tipo faz você ativar duas respostas possíveis: lute ou fuja, o que acaba liberando bastante adrenalina.

Confira a lista de filmes que foram usados no experimento e veja quantas calorias foram queimadas ao assistir cada um deles:

  1. “O iluminado” – 184 calorias
  2. “Tubarão” – 161 calorias
  3. “O exorcista” – 158 calorias
  4. “Alien” – 152 calorias
  5. “Jogos mortais” – 133 calorias
  6. “A hora do pesadelo” – 118 calorias
  7. “Atividade paranormal” – 111 calorias
  8. “Bruxa de Blair” – 105 calorias
  9. “O massacre da serra elétrica” – 107 calorias
  10. “[Rec]” – 101 calorias

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.