Dor no cóccix: causas, sintomas e tratamentos

10 de dezembro, 2021

Desde que a pandemia de Covid-19 teve início, em março de 2020, muitos profissionais saíram dos escritórios e começaram a trabalhar em casa. E, apesar da segurança e da qualidade de vida que o home office tende a proporcionar, o ambiente pouco adequado pode resultar também em alguns incômodos. Como por exemplo, a dor no cóccix. 

O ortopedista Rodrigo Vetorazzi, coordenador da Ortopedia do Hospital Albert Sabin (HAS) e que faz parte do Consulta Aqui, explica que essa pequena estrutura óssea, localizada no final da coluna vertebral, possui somente três a cinco vértebras bem pequenas. Entretanto, sua função é essencial, pois atua na transferência de peso e na sustentação da coluna.

Leia também: Dor nas costas? Como reverter cuidando de um músculo pouco conhecido

O que é a dor no cóccix

A dor nessa região tem um nome específico: coccidínia. Geralmente, o incômodo aparece por conta do excesso de pressão colocada em cima dessa estrutura. Dessa forma, isso acontece em decorrência de diversos fatores. Sendo assim, entre eles: má postura (como se sentar de forma errada por um longo período) – o que pode causar artrose local ou inflamação dos ligamentos -; sobrecarga mecânica; quedas; deslocamento ósseo e microtraumas de repetição (caso de esportes como ciclismo, remo e equitação).

“Nessa época de pandemia em que estamos vivendo, muitas pessoas estão trabalhando de suas casas e nem sempre contam com os móveis próprios dos escritórios, como cadeiras ergonômicas, mesas na altura correta e outros”, diz o médico. “Essa adaptação do mobiliário residencial para passar muitas horas diante de um computador, pode fadigar os músculos, causando dores nas costas, na região do cóccix e demais problemas inerentes à má postura.”

Existem ainda outras causas e situações que podem dar origem à dor no cóccix:

  • Lesão ou acidente;
  • Tensão repetida ou prolongada no cóccix;
  • Estar acima ou abaixo do peso;
  • Envelhecimento;
  • Cisto pilonidal;
  • Hérnia de disco.

Quando buscar ajuda médica

Rodrigo alerta que a dor no cóccix passa a ser preocupante quando se torna frequente. Além disso, é necessário estar atento quando o uso de analgésicos não melhoram o quadro. “A dor que não é resolvida com gelo ou calor local e anti-inflamatório exige ajuda médica, até mesmo multidisciplinar. Por exemplo, ortopedista, fisioterapeuta, fisiatra e até reumatologista em alguns casos de doenças inflamatórias crônicas.”

Assim, para diagnosticar a coccidínia, o profissional deve realizar exames clínicos, bem como considerar o histórico médico do paciente. Portanto, exames de imagem complementares também podem ser solicitados. A estabilidade do cóccix é avaliada por meio de radiografia dinâmica da região, tomografia computadorizada e/ou ressonância magnética.

Como tratar a dor no cóccix 

Com relação ao tratamento, o médico informa que a principal providência é a adoção de uma reeducação postural. “Correção da postura ao sentar-se, evitar longos períodos ininterruptos sentado e preferir assentos acolchoados são dicas importantes para a melhora dos sintomas”, argumenta.

Para ele, o ideal é, de fato, prevenir a dor com um espaço adequado de trabalho e lazer, com cadeira ergonômica, computador na altura dos olhos e não deixar o corpo muito curvado. “Na prática esportiva, é importante se preparar, se aquecer, fazer a atividade de forma racional, com treinamento específico, bom equipamento e acompanhamento.” 

Nos casos mais severos, sobretudo causados por fratura ou deslocamento, pode ser recomendado o uso de medicamentos mais potentes, como anti-inflamatórios e analgésicos, e também procedimentos de fisioterapia, acupuntura, repouso e interrupção de atividades físicas.

Dessa maneira, em situações muito extremas de dor no cóccix, quando os demais tratamentos falham, o médico pode cogitar uma cirurgia, inclusive com a retirada do cóccix para cessar as dores. “No mais, quaisquer incômodos ou dores, em especial na região da coluna, devem sempre ser investigados e tratados por um ortopedista com o intuito de não se tornarem crônicas”, adverte Rodrigo.

Fonte: Rodrigo Vetorazzi, ortopedista e coordenador da Ortopedia do Hospital Albert Sabin (HAS) e que faz parte do Consulta Aqui.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.