Dieta rica em proteína aumenta o risco de doenças cardíacas?

4 de fevereiro, 2020

Não é novidade que a qualidade da alimentação está diretamente relacionada à saúde do coração. E, quando o assunto é doenças cardiovasculares, os dados são alarmantes: o problema é responsável por 30% das mortes registradas no Brasil. As principais causas são infarto, AVC (Acidente Vascular Cerebral) e morte súbita. 

De acordo com um recente estudo da Universidade Penn State University, nos Estados Unidos, pode haver mais evidências para apoiar uma conexão entre uma dieta rica em proteína e doenças cardíacas.

Por outro lado, uma alimentação baseada em vegetais pode ter o efeito oposto. Com os pesquisadores descobrindo que dietas mais baixas em aminoácidos sulfurados encontrados em alimentos ricos em proteínas estão associadas a um menor risco de doença cardíaca

A conexão entre dieta rica em proteína e a saúde do coração

A universidade conduziu a pesquisa sobre as dietas de mais de 11.000 pessoas. Com isso, eles descobriram que aqueles que ingeriam alimentos com menos aminoácidos tendem a também ter menos risco de doenças cardiometabólicas.

A equipe baseou esse risco de doença em níveis como glicose, insulina e colesterol no sangue das pessoas após um jejum de 10 a 16 horas. Estes biomarcadores são indicativos do risco de doença de um indivíduo. Muitos desses níveis podem ser afetados pelos hábitos alimentares a longo prazo.

Assim, entre as conexões com as doenças observadas, a equipe também descobriu que os participantes estavam comendo quase duas vezes e meia mais aminoácidos sulfurados do que o requisito estimado. Sabe-se que limitar os aminoácidos sulfurosos promove a longevidade em animais. Mas, esse estudo fornece a primeira evidência epidemiológica de que a ingestão excessiva de aminoácidos sulfurados na dieta pode estar relacionada a resultados de doenças crônicas em humanos.

De acordo com a análise, foi encontrada alta ingestão de aminoácidos sulfurados em todos os tipos de alimentos, exceto frutas, vegetais e grãos. Com isso, o próximo passo é um estudo longitudinal sobre aminoácidos sulfurados e seus efeitos na saúde.

Porém, o mesmo estudo mostra que muito da proteína ingerida pela população vem de carnes processadas que são, principalmente, fontes de gordura saturada – aquela que é inimiga dos bons níveis de colesterol.

Por isso, é importante equilibrar as quantidades e os tipos de alimentos, colocando mais ênfase em frutas, vegetais e grãos. Afinal, sabemos que algumas das principais dietas saudáveis ​​incluem a dieta mediterrânea e a dieta DASH, que recomendam limitar a ingestão de carne.

Leia também: Dieta mediterrânea: Saiba como fazer e os benefícios para a saúde

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.