Cronotipo: o que é e porque você precisa saber qual é o seu

Bem-estar Sono
21 de Junho, 2023
Cronotipo: o que é e porque você precisa saber qual é o seu

Você é do tipo que detesta acordar cedo ou já acorda bem e disposto para viver o dia? Poucas pessoas sabem que essa preferência tem uma explicação científica: o cronotipo, uma predisposição natural que cada um de nós tem por algum período do dia. Continue lendo para saber mais. 

O que é o cronotipo?

Cada um de nós tem um cronotipo, condição que indica a nossa preferência de horários para dormir, acordar, praticar atividades físicas, estudar e trabalhar.

É como se fosse um selo pessoal que revela nossas preferências e ritmos internos. É o que explica o Dr. Mario Leocadio, professor de Ciência do Sono na Northumbria University, UK, e representante do Conselho de Cronobiologia da Associação Brasileira do Sono. 

“O cronotipo está relacionado a importantes variáveis que determinam o nosso desempenho, seja físico, seja cognitivo. Força muscular, resistência, potência aeróbica, são alguns exemplos de variáveis fisiológicas fundamentais para o desempenho e que naturalmente oscilam ao longo das 24 horas do dia”. 

Tipos de cronotipo 

cronotipo

Cronotipo matutino

Pessoas do cronotipo matutino tendem a despertar junto ao nascer do sol e sem precisar de múltiplos despertadores. Eles apresentam altos níveis de energia e produtividade durante a manhã. Isso acontece porque o pico da produção de melatonina acontece antes mesmo da meia-noite, permitindo que eles tenham dificuldade para dormir tarde.

Sendo assim, os matutinos tendem a aproveitar as primeiras horas do dia para despertar as suas atividades com mais vigor. 

Cronotipo vespertino

Pessoas com o cronotipo vespertino são os verdadeiros “inimigos do fim”. Eles tendem a ser mais produtivos, energéticos e criativos durante a noite, visto que a sua produção de melatonina acontece por volta de 6h da manhã.

No entanto, é bem verdade que os vespertinos tendem a sofrer mais com a adequação nos horários de trabalho ou estudos. Alguns dos sintomas como irritabilidade e falta de atenção podem estar presentes e indicar privação de sono. 

Cronotipo intermediário

Esse é o cronotipo do equilíbrio. Isso é, pessoas com nível intermediário costumam a ter níveis de energia medianos durante o dia inteiro, não atingindo o ápice e nem a escassez. Assim, elas conseguem se alinhar com uma disposição equilibrada durante o dia. Neste caso, que representa o cronotipo mais comum, não há preferências por dias ou por noites.

Entendendo a importância do cronotipo

Compreender as preferências naturais do corpo é fundamental, pois permite que você respeite o ritmo do organismo, tenha um sono de qualidade e, quando possível, concilie atividades diárias de acordo com os picos de energia.

Ou seja, ao identificar o cronotipo pessoal, pode-se ter conhecimento sobre o período do dia em que você estará mais produtivo, permitindo que se concentre nas tarefas importantes durante esse intervalo de tempo.

“Isso quer dizer que ao colocarmos um matutino para trabalhar ao longo da noite, muito provavelmente estaríamos “esticando demais a corda”. Como resultado, essa pessoa experimentaria prejuízos à sua saúde, especialmente no longo prazo. Isso é claro quando avaliamos o risco cardiovascular, a desordem metabólica, entre outras questões de saúde”, explica o médico.

Então, como identificar o seu cronotipo?

Além da identificação natural com os cronotipos, existe uma forma de entendê-lo com mais profundidade com os questionários médicos.

Esses são instrumentos utilizados para analisar uma série de questões pessoais que indicam a tendência a um dos tipos de cronotipo. Algumas delas são: picos de energia, quando chega o cansaço e preferências para dormir e acordar. 

“Ele não mede o cronotipo através da subjetividade da preferência, mas sim ele possui respostas sobre os atuais hábitos de sono das pessoas, como horários de dormir e acordar, tempo que demoramos para iniciar o sono à partir do momento em que resolvemos dormir, horários de sono nos finais de semana”, afirma o Dr. Mario.

É possível modificar o cronotipo? 

Embora possamos nos acostumar com a realização de tarefas em um horário contrário ao nosso cronotipo, isso não significa que o modificamos.

Porém, é possível mudar a preferência durante a vida. Como o Dr. Mario explica, crianças tendem a ser mais matutinos, mudando drasticamente enquanto atravessam a puberdade. Em especial, a fase da adolescência é tradicionalmente conhecida como uma fase em que existe uma tendência enorme para a vespertinidade.

“Tanto do ponto de vista biológico, principalmente relacionado ao desenvolvimento dos hormônios sexuais, quanto do ponto de vista comportamental, representado pela maior exposição à luz e aos eletrônicos em geral antes de dormir, adolescentes se tornam, na média, mais vespertinos” explica o médico.

Contudo, já no início da fase adulta existe um retorno gradual à um estado de menor vespertinidade que resulta, com o envelhecimento, em uma tendência grande à matutinidade, traço bastante comum em idosos.

Veja também: Higiene do sono: Já ouviu falar? Entenda a importância

Fonte: Dr. Mario Leocadio, professor de Ciência do Sono na Northumbria University, UK, e representante do Conselho de Cronobiologia da Associação Brasileira do Sono

Sobre o autor

Tayna Farias
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em gravidez e maternidade

Leia também:

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

personal ajudando aluno a fazer o exercício crucifixo inclinado na academia
Bem-estar Movimento

Crucifixo inclinado: como fazer corretamente para evitar dores

A posição do banco no crucifixo inclinado faz com que o exercício enfatize bem os músculos do peitoral. Confira o passo a passo

criança nadando na piscina
Bem-estar Movimento

Crianças podem (e devem) fazer natação no inverno!

Prática deve ser contínua mesmo no frio, pois aumenta imunidade e o gasto calórico. Veja os benefícios da natação no inverno para as crianças!