Não tem criatividade? Confira dicas que podem ajudar

16 de novembro, 2021

Uma das principais habilidades humanas é a criatividade. No entanto, muitas pessoas têm dificuldade para colocá-la em prática. Mas a boa notícia é que com algumas estratégias, você pode adquiri-la ao longo dos anos. Na verdade, um cérebro criativo possui uma grande capacidade não apenas de pensar, mas, sobretudo, de conectar ideias entre muitas regiões do cérebro.

“O que acontece no cérebro em um processo criativo? Uma grande bagunça de conversas entre muitas áreas neuronais. Quanto mais interconectado é o cérebro, melhor o efeito de modificar, desmontar e montar de novo tudo que é visto”, explica a neurocientista do Supera – Ginástica para o cérebro, Livia Ciacci.

Dessa maneira, ao contrário do que muitos pensam, a criatividade não é um privilégio de crianças e adolescentes e está implícita em nosso dia a dia. Mas sim, essa habilidade está diretamente ligada à nossa capacidade de imaginar.

Novidade, variedade e grau de desafio crescente

Podemos pensar no desenvolvimento da criatividade como um cérebro que se coloca em constante rota de novidade, variedade e grau de desafio crescente.

“O cérebro se torna criativo ao máximo quando troca a segurança pela surpresa, a rotina pelo desconhecido, o que implica em risco. É impossível criar algo original tendo certeza do seu resultado. Essa tolerância ao risco e predisposição de aprender com os erros são essenciais e podem ser desenvolvidos. Alimentar o cérebro de referências e repertórios variados e usar a imaginação para combinar tudo de todos os jeitos possíveis é uma receita válida”, detalhou Livia.

Leia também: Bloqueio criativo: Saiba o que é e como revertê-lo

O treino cognitivo para ter mais criatividade

“Evitar a repetição é o que fazemos desde que nos entendemos como sociedade: seres humanos buscam novidades. Mas há o equilíbrio, porque não queremos viver em um looping infinito de dias e coisas iguais. Por outro lado, também não queremos acordar e ver que todos os softwares do computador estão funcionando de forma diferente — há um meio termo entre reconhecer e desvendar”, lembrou Livia. 

Nesse sentido, a ginástica para o cérebro contribui diretamente em dois pontos:

  • Melhora o desempenho das operações básicas de atenção, memória e raciocínio lógico — essenciais na hora de reter informações ou fazer combinações mentais de novas possibilidades;
  • Trabalhar a metacognição, ou seja: a capacidade de ter consciência dos próprios processos mentais — essencial para compreender os passos que levam ao desenvolvimento de uma ideia genial ou para resistir à tentação de desistir na primeira dificuldade.

Dicas para melhorar a criatividade

Como quase tudo na vida, a criatividade também pode ser construída, e requer paciência. Portanto, confira 6 dicas para melhorar essa característica hoje:

  • Um bom hábito é não se satisfazer com a primeira ideia, pois a primeira resposta do cérebro será sempre a mais fácil e mais comum. Por isso, se você precisa de uma solução criativa, se esforce para arrancar das suas redes neurais o máximo de combinações possíveis — o volume aqui é muito importante;
  • Tentar criar uma possibilidade alternativa para tudo à sua volta pode ser divertido e estimula a flexibilidade mental;
  •  Seja curioso. Ás vezes, a combinação ideal para resolver um problema de informática pode vir de uma situação inusitada;
  • Passe um tempo sozinho, focado no tema que quer desenvolver;
  •  Converse sobre sua ideia, o lado social é importante para o cérebro e o ponto de vista diferente pode te fazer enxergar outras possibilidades.

Fonte: Livia Ciacci, neurocientista do Supera – Ginástica para o cérebro.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Repórter