Cálcio na gravidez: Entenda porque o nutriente é tão importante

22 de julho, 2021

O cálcio é um mineral essencial para a saúde, especialmente porque garante o fortalecimento de dentes e ossos, prevenindo problemas como osteopenia e osteoporose. Assim, a ingestão de cálcio na gravidez se torna ainda mais importante. Afinal, ele é responsável por diferentes funções e processos, entre eles a coagulação sanguínea e também a regulação dos batimentos cardíacos e o fluxo de nutrientes enviados para o bebê, além de participar diretamente da formação do esqueleto do feto. 

Quando a gestante deixa de consumir as quantidades indicadas de cálcio, o feto pode começar a buscar o mineral no corpo da mãe. Como resultado, ela pode desenvolver sintomas como câimbras, cáries e unhas quebradiças. Outro problema é a osteoporose, que pode ocorrer caso a mulher engravide diversas vezes sem repor o cálcio necessário.

A carência do nutriente pode também contribuir para elevar a pressão arterial da gestante, o que aumenta os riscos de pré-eclâmpsia. “Se não for tratada, essa doença pode levar ao parto prematuro, e isso acaba colocando a mãe e o bebê em perigo”, informa o cardiologista e nutrólogo Juliano Burckhardt, membro Titular da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Segundo ele, o grande problema é que muitas mulheres consomem quantidades muito baixas do mineral. “Pouco cálcio é um problema em qualquer idade ou condição, mas, para as grávidas, as consequências podem ser graves.”

Cálcio na gravidez: Consumo ideal

cálcio na gravidez

De acordo com o médico, o recomendado é que as gestantes consumam cerca de 1.200 mg de cálcio por dia. Isso equivale a 1 litro de leite comum ou 500 ml de leite enriquecido com o mineral. A atenção com a alimentação é importante a partir do momento que as mulheres decidem engravidar. “Tanto o cálcio como outros nutrientes são fundamentais para a saúde da gestante e do feto tanto no pré e intragestação como no puerpério, o que chamamos de 1000 dias de ouro da gestação”, afirma Juliano.

Mas, apesar do papel do cálcio na gravidez, o médico alerta para o risco de um consumo exagerado do mineral. Isso pode ocasionar problemas como pedras nos rins, assim como dificultar a capacidade de absorção de outras vitaminas e minerais. Por isso, ele ressalta que o ideal é fazer um acompanhamento individual e em sintonia entre obstetra e nutrólogo para otimizar a suplementação e os resultados.

Outras dicas interessantes para garantir a quantidade de cálcio são: manter hábitos saudáveis, como prática de exercícios físicos, cuidado com os níveis de estresse, e alimentação rica em diferentes nutrientes, especialmente a vitamina D, que influencia diretamente na absorção do mineral e na prevenção de algumas doenças como autismo, além de conferir maior imunidade para a gestante e o bebê.

Fontes de cálcio 

Mulheres grávidas precisam de 1 200 miligramas de cálcio por dia.

Mulheres grávidas precisam de 1 200 miligramas de cálcio por dia. Existem diferentes opções de alimentos ricos em cálcio. Leite e seus derivados – como queijos e iogurtes – são, sem dúvida, as fontes mais famosas. Mas, você também encontra o mineral em vegetais de cor verde escura (brócolis e couve), sardinhas, amêndoas, sementes de gergelim, feijão, grão-de-bico e lentilha

Leia também: Cálcio: Alimentos fontes do mineral – além do leite

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.