Café com colágeno: a combinação vale a pena?

16 de junho, 2021

Os suplementos de colágeno andam fazendo sucesso, principalmente entre as pessoas que se preocupam com a manutenção da saúde da pele, dos ossos e das articulações. Por isso, muita gente vem procurando maneiras de adicionar a substância à dieta — o café com colágeno é uma delas. Mas será que a mistura realmente funciona?

Café com colágeno: o que é o colágeno

Primeiro, vale entender: o colágeno nada mais é do que uma proteína densa e fibrosa encontrada em diversas regiões do corpo (representa aproximadamente um terço das proteínas do organismo). Como ossos, pele, músculos e tendões.

Embora existam muitos tipos, três são os principais:

  • 1: O tipo localizado na pele, nos ligamentos, nos ossos e nos tecidos intersticiais (que separam a pele e os órgãos internos);
  • 2: O presente nas cartilagens e nos olhos;
  • 3: Aquele encontrado também na pele, nos músculos e nos vasos sanguíneos.

Conforme envelhecemos, produzimos naturalmente menos colágeno. Esse processo leva ao aparecimento de rugas e ao enfraquecimento das nossas articulações. Por isso, alguns especialistas recomendam a ingestão dos suplementos ou alimentos como o caldo de ossos, conhecido por ser rico na proteína, a partir dos 35 anos.

“O ideal é suplementar diariamente, pois apesar de ser quase sem sabor, o suplemento deve ter em média 10 g de colágeno, hidrolisado ou em peptídeos, e toda a forma de incluir o mesmo ao hábito alimentar é bem-vinda”, diz a médica nutróloga Marcella Garcez.

Os líquidos e pós feitos com a substância têm como matérias-primas a carne de porco, de boi ou frutos do mar. Vale lembrar, também, que a maioria dos suplementos é hidrolisada e em peptídeos. Ou seja, já é decomposta para que seja de mais fácil absorção.

Possíveis benefícios dos suplementos de colágeno

Quando consumimos o colágeno, é difícil saber qual parte do corpo irá assimilá-lo (se os músculos ou a pele, por exemplo). Contudo, e de modo geral, seus benefícios se resumem em:

1 – Melhora da aparência da pele

Um estudo apontou que indivíduos que tomaram suplementos de colágeno com frequência apresentaram mais elasticidade, hidratação e densidade na pele. Isso porque todas essas variáveis são afetadas com o envelhecimento, e reforçar a ingestão da proteína aparentemente retarda o quadro.

Há também no mercado cremes e produtos à base de colágeno. Contudo, esse uso ainda não foi comprovado pela ciência.

2 – Reduz dores nas articulações

Outra pesquisa mostrou que a proteína pode melhorar os sintomas de artrite, que geralmente envolvem incômodos nos ligamentos.

3 – Ajuda a prevenir a perda óssea

Além disso, a substância pode contribuir para evitar a sarcopenia — perdas muscular e óssea acentuadas e relacionadas à idade. Principalmente se ela for acompanhada do consumo adequado de cálcio, vitamina D e fósforo, nutrientes essenciais para o objetivo.

Café com colágeno vale a pena?

A maioria das substâncias é sem sabor. Ou seja, vai igualmente bem em receitas doces e salgadas. Só há um problema: altas temperaturas (e soluções ácidas demais) podem destruir a proteína. Desse modo, o café com colágeno pode não ser a melhor ideia.

As moléculas de colágeno são produzidas no calor (cerca de 88°C) para que fiquem ligeiramente quebradas e sejam mais absorvidas pelo trato digestivo. Mesmo assim, passar dessa temperatura (a água do café pode chegar a 96°C) pode degradar completamente o colágeno, tornando-o completamente inútil.

E apesar de um estudo ter demonstrado que a destruição da proteína acontece somente a partir dos 150 graus, é melhor não arriscar, não é mesmo?

Leia também: Alimentos e ervas que aumentam a produção de colágeno

Melhores alternativas ao café com colágeno

Por isso, por que não investir em opções mais certeiras? Em vez do café, misture o colágeno com:

  • Smoothies;
  • Chás gelados;
  • Sucos
  • Chia pudding;
  • Sopas frias;
  • Purê de batata (espere o alimento esfriar um pouco);
  • Gelatina (espere o alimento esfriar completamente).