Botox falsificado: Anvisa suspende venda de produtos e emite alerta

Beleza Bem-estar Saúde
06 de Fevereiro, 2023
Botox falsificado: Anvisa suspende venda de produtos e emite alerta

Recentemente, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), emitiu um alerta a respeito de botox falsificado de duas marcas de toxina botulínica: Botox® 100U e o Dysport® 300U. Especialistas em saúde apontam que o uso do produto adulterado pode causar complicações como inchaços, alergias e até infecções, que podem apresentar quadros de progressão. Com isso, a venda dos mesmos está proibida por oferecer riscos à saúde. Continue lendo e entenda. 

Veja também: Botox mal feito pode ser revertido? Especialista explica

Botox falsificado

A toxina botulínica ganhou espaço no segmento de beleza por suavizar as linhas de expressão e diminuir e prevenir rugas, evitando o envelhecimento natural da pele. Além disso, o produto também é utilizado para fins de tratamento neurológico. No entanto, o uso de produtos falsificados pode gerar efeitos contrários e prejudiciais à saúde.  

A Allergan Produtos Farmacêuticas, responsável pelo Botox, reportou à ANVISA que a falsificação foi identificada em dois produtos, especialmente no lote C7654C3F. Já a farmacêutica responsável pela toxina Dysport, a Beaufour Ipsen, comunicou à ANVISA que não reconhece o lote, por isso, todos os produtos com o lote L25049 são falsificados e estão proibidos para uso e comercialização.

Por fim, a Anvisa recomenda que a farmacêutica responsável pelo produto seja contatada em caso de problemas.

Saiba como diferenciar o produto original

Em primeiro lugar, já no rótulo do produto, é possível identificar alterações que representam alertas. Assim, o Botox original contém o selo “venda sob prescrição médica”, já o falsificado não apresenta a identificação. 

Além disso, ao analisar a embalagem do produto falsificado, notou-se a ausência do número de série e do lote da toxina botulínica. Na bula do medicamento, o produto falso apresenta um asterisco no termo toxina botulínica A, sendo que esse item não existe no produto original. Assim, outras dicas para identificar o produto falsificado exigem ainda a comparação das toxinas, são elas: 

  • Diferenças na cor do rótulo e o tipo da letra em relação ao produto falso e original;
  • Alterações na parte interna do produto;
  • Material utilizado para fazer a bula.

Principais cuidados ao fazer um botox

Ao optar por uma intervenção estética ou pelo tratamento via toxina botulínica, é importante se atentar a alguns fatores, afirma a Dra. Cláudia Merlo, especialista em cosmetologia. Dessa forma, o injetor do botox deve ser um médico e ter amplo treinamento e experiência na execução dessas injeções.

Portanto, fique longe de ‘festas de Botox’, nas quais alguém que geralmente não é qualificado promove uma reunião social para injetar toxina botulínica em um grupo de pessoas. Isso porque apesar de não ser um procedimento cirúrgico, um profissional capacitado deve aplicar o botox em ambiente estéril.

Também é prudente agendar uma consulta antes de fazer o procedimento com um profissional que você nunca conheceu antes. “Isso não só lhe dá a chance de discutir seus objetivos e os detalhes do seu tratamento, mas também lhe dá a oportunidade de avaliar a instalação e observar quaisquer sinais de alerta com antecedência. Portanto, algumas “bandeiras vermelhas” ao buscar um injetor de botox incluem:

a) o injetor estar disposto a fazer uma “chamada em casa”;

b) o injetor não ser médico – outros profissionais começaram a oferecer injeções de toxina botulínica;

c) o preço parecer bom demais para ser verdade.

Por fim, a Dra Cláudia Merlo explica que alguns fornecedores podem anunciar um negócio incrível, mas sem qualidade na aplicação. “Esses ‘acordos’ podem levar à insatisfação, na melhor das hipóteses, e podem deixá-lo com sérias complicações na pior das hipóteses”. Assim, produtos de má qualidade, falsificados, vencidos ou com maior diluição da substância podem estar embutidos nesses descontos.

Fonte: Dra. Cláudia Merlo, médica especialista em Cosmetologia pelo Instituto BWS.

Referências: ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária; Ministério da Saúde. 

 

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

lesões no beach tennis
Bem-estar Movimento

Lesões no beach tennis: joelho e ombro são as mais comuns. Veja como evitar

Assim como em outras atividades, também há risco de lesões no Beach Tennis. Portanto, veja dicas de como evitar lesões como epicondilite lateral.

fasting mimicking
Alimentação Bem-estar

Diet Fasting Mimicking: o que é o método que imita jejum?

A metodologia restringe calorias por um período de tempo determinado

óleo de coco
Alimentação Bem-estar

Óleo de coco: benefícios e possíveis usos

Multiuso e cheio de benefícios, o óleo de coco é um dos destaque do momento para quem procura uma vida mais saudável. Saiba mais