Benefícios e riscos da atividade física em jejum

12 de maio, 2021

Praticar atividade física em jejum tem sido uma estratégia cada vez mais comum. Muitas pessoas lançam mão do hábito e realizam exercícios longe dos períodos das refeições. Mas quais os prós e contras dela?

O aeróbico em jejum (ou AEJ) é um tema controverso nas discussões sobre saúde e alimentação, pois, ao mesmo tempo que para uns é o queridinho da vez quando se trata de emagrecimento, para muitos, ele pode ser considerado um vilão e trazer riscos à saúde.

Como funciona a atividade física em jejum?

O AEJ consiste em, basicamente, treinar sem se alimentar. Entretanto, diferentemente de outras formas de jejum, como o intermitente, que em alguns casos há a ingestão de líquidos pouco calóricos como chás, café sem açúcar e termogênicos, para ser caracterizado como AEJ, você deve praticar atividade física de baixa intensidade ao acordar.

Para que a estratégia funcione, o ideal é ter uma alimentação equilibrada ao longo do dia anterior e os exercícios devem ser entre intensidade leve e moderada, em um curto espaço de tempo. O recomendado é começar com 10 minutos e, de acordo com a sua evolução, acrescentar dois minutos por dia até, no máximo, 45 minutos. Vale destacar que, apesar de algumas pessoas se adaptarem muito bem, o AEJ não deve ser uma estratégia de longa duração, mas, sim, algo pontual dentro do plano alimentar. E muito menos serve para todos: existem algumas contraindicações.

Benefícios e riscos

Porém, é necessário ficar atento, pois o que funciona para alguns, pode não ser adequado para outros. Pior ainda é quando se adere à nova moda sem qualquer conhecimento dos seus benefícios e malefícios. No portal do Manipulaê, você encontra uma lista completa com os prós e os contras de praticar atividade física em jejum. Confira clicando a seguir:

Atividade física em jejum: prós e contras