Eco-ansiedade: Entenda o que é e como evitar

17 de December, 2019

O ano de 2019 foi marcado por diversos eventos climáticos extremos, como tempestades, refugiados ambientais e previsões perturbadoras sobre o futuro do planeta. Despontando, com isso, uma atenção maior para a eco-ansiedade.

Países como a Austrália declararam a mudança climática como uma “emergência de saúde”. Também, a Organização Mundial da Saúde (OMS) deu um passo adiante, chamando-a de maior ameaça à saúde global no século XXI.

Assim como o transtorno de ansiedade, que é a sensação de que tudo vai dar errado a qualquer momento, preocupação excessiva com o futuro e pensamentos a milhão, a eco-ansiedade é a variação dessas reações, porém, em relação a questões ambientais e às mudanças climáticas.

Leia mais em: Ansiedade: O que é, sintomas e como controlar

Dessa forma, alguns psicólogos e médicos em todo o mundo estão citando o aumento do número de pacientes que se enquadram na categoria eco-ansiosa. Diante disso, saiba o que fazer para evitar ou aliviar a eco-ansiedade.

Desconecte-se 

Cuidar de si mesmo e descansar a cabeça é importante. Saia com seus amigos, medite, ande de bicicleta, leia um livro. Assim, importante é fazer coisas que gosta, recarregando as energias.

Use a voz para impactar o entorno

Pode ser feito pelas redes sociais, postando fotos inspiradoras, falando das pequenas ações que mudaram a sua vida, conversando, dividindo. Ou, apenas chamando amigos para uma conversa. 

Compartilhe coisas boas

Muitas pessoas acabam sempre compartilhando coisas ruins e negativas. No entanto, é importante dividir coisas boas, frisar que existe esperança e mostrar que existem coisas positivas acontecendo também.

Eco-ansiedade não é frescura

Infelizmente ainda há falta de conhecimento da população quanto à seriedade dos sintomas da ansiedade, que pode ser uma oportunidade para o surgimento de transtornos mais delicados, como a depressão ou TOC (transtorno obsessivo compulsivo).

Porém, os sintomas podem se manifestar no aspecto emocional e físico. Assim, a inquietação e o medo de que algo dê errado, criar situações mentais que podem nem existir, pensamentos e questionamentos projetados para o futuro que podem nem acontecer e até uma sensação constante de perseguição são típicos da ansiedade.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.